Criar na cidade

Concurso “Jovem Conservacionista” forma alunos embaixadores da Amazônia

Por Vagner de Alencar

Que a maioria dos jovens está conectada à internet, isso é inegável. Mas o modo como ela é usada por eles é o grande X da questão. Pensando em como aproveitar a interatividade para fazer com que meninos e meninas disseminem mensagens sobre melhores práticas de conservação ambiental, foi lançado o Prêmio Jovem Conservacionista. O concurso pretende identificar e incentivar jovens de 15 a 19 anos, moradores da zona rural da Fronteira do Desmatamento da Amazônia – região também conhecida como Arco do Desmatamento, considerada uma das mais desmatadas do país, passando pelo Pará, Mato Grosso, Rondônia e Acre –, para que se tornem embaixadores da Amazônia tanto por meio do uso das tecnologias de informação e comunicação, sobretudo via Facebook e Twitter, quanto por encontros presenciais para explicar a outros jovens como fazer manejo e uso sustentável dos recursos naturais.

“Os jovens estão conectados às redes sociais, trocando mensagens de todo o tipo e o tempo inteiro. O propósito é que eles próprios possam transmitir essas ideias de conservação da natureza para os demais. Na verdade, eles prestam mais atenção uns nos outros do que, por exemplo, se ouvem algo de um biólogo ou um professor”, afirma o biólogo Silvio Marchini, idealizador o projeto.

Marchini começou a divulgar a iniciativa nas escolas públicas da região, que fica na divisa entre o Mato Grosso e o Pará, no segundo semestre de 2012. Formou um grupo de 30 jovens com perfil de liderança e os levou para oficinas presenciais de três dias, quando desenvolveram campanhas de comunicação com iniciativas locais de proteção e uso sustentável dos recursos naturais. Depois, iniciou a produção de documentários, fotos, artigos, cartazes e revistas relacionados a essas ações que acontecem na região. Os trabalhos estão previstos para serem concluídos neste mês.

Como prêmio, os autores dos melhores produtos vão participar de uma oficina para aprimorar as técnicas de comunicação. Além disso, dois jovens serão selecionados para uma viagem a São Paulo, em março, onde vão conhecer redações jornalísticas especializadas em educação e comunicação ambiental e visitar colégios privados para apresentar suas produções, além de dar palestras sobre conservação na Amazônia. No entanto, para ampliar o número de embaixadores, Marchini inscreverá, em fevereiro, o projeto na plataforma de crowdfunding Catarse para captar recursos na tentativa de levar mais jovens a São Paulo, além dos dois previstos.

Segundo Marchini, os embaixadores vão aproveitar a iniciativa para divulgar ações de preservação que já acontecem na Amazônia, como o Óleos Fora D’água, que recupera nascentes, e o Amazônia Sem Fogo, que tem conseguido diminuir o número de queimadas. “O foco é sempre a comunicação horizontal”, enfatiza ele, que é cofundador e coordenador da Escola da Amazônia, projeto desenvolvido pela Fundação Ecológica Cristalino, que realiza iniciativas educativas dedicadas à proteção do bioma amazônico. “Durante os últimos anos, trouxemos muitos jovens de ensino médio de São Paulo para a Alta Floresta [município no estado de Mato Grosso]. Agora, pela primeira vez, fazemos o caminho contrário, de levar os jovens da Amazônia para lá”, diz.

De volta à região de origem, o próximo passo dos embaixadores será o de organizar uma exposição itinerante em que percorrerão as escolas públicas da região para compartilhar as experiências aos colegas. Eles criarão painéis com os materiais produzidos, além de fotos e vídeos feitos durante a viagem à metrópole. “Queremos que isso sirva de estímulo para que mais jovens se inscrevam no prêmio de 2013”, diz Marchini, que já ambiciona novos andamentos à edição seguinte do concurso. Entre eles, está a criação de um portal específico para o projeto e a campanha Adote um Jovem Conservacionista, que, afirma, vão ajudar a ampliar a mudança que eles vêm tentando trazer à vida dos jovens. “A campanha Adote um Jovem será um investimento baixo para os empresários e vai permitir que muitos outros embaixadores continuem a levar mensagens sobre conservação da Amazônia a outros jovens do país”.

Assista a palestra de Marchini no TEDxAm na fala sobre a relação entre os homens e a natureza