Criar na cidade

Dentro da igreja Matriz, exposição homenageia moradores de Ouro Preto (MG)

Desde o início de dezembro, Ouro Preto (MG) chama a atenção de seus moradores e visitantes com uma iniciativa de uma cidade educadora que valoriza a comunidade local. Realizado dentro da nave da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, o projeto “Moradores – A Humanidade do Patrimônio Histórico” homenageou os mais diversos habitantes da antiga capital mineira.

Segundo o coletivo Nitro+Alicate, autor da iniciativa, foi a primeira vez em 300 anos de história do barroco no Brasil que uma igreja tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) abrigou uma exposição de arte contemporânea em homenagem aos moradores de seu entorno. Nessa igreja, aliás, está enterrado Aleijadinho, referência da arte barroca – em 2014 celebra-se o bicentenário da morte do artista.

Dentro do local, seis painéis interagiam com os altares pintados em ouro e com os andaimes montados para a reforma da Matriz. Em forma de projeção, a exposição, que foi montada pelo coletivo Fotógrafos em Ouro Preto, surpreendeu os visitantes que ali estavam e, de acordo com os organizadores, homenageou “os verdadeiros donos dos patrimônios tombados no Brasil: as comunidades que os cercam.”

ProjetoMoradoresMoradores

O projeto “Moradores – A Humanidade do Patrimônio Histórico” foi criado em 2012 e já passou por cinco estados brasileiros (SP, RJ, BA, MG e PE). Com a intenção de preservar as identidades culturais e a memória das cidades – considerando esses atributos como seus patrimônios imateriais –, a iniciativa já fotografou e entrevistou aproximadamente duas mil pessoas.

No ano passado, também em Ouro Preto, a exposição do projeto ocupou a Praça Tiradentes com 12 painéis gigantes e retratos em preto e branco dos moradores da cidade.

Projeto Moradores / Ouro Preto / O Varal from ALICATE on Vimeo.