Aprender na cidade

Aberta consulta pública sobre educação de jovens em atendimento socioeducativo

Do Ministério da Educação

O Conselho Nacional de Educação disponibilizou para consulta pública o documento base sobre as diretrizes nacionais para a educação escolar de adolescentes e jovens em atendimento socioeducativo. O documento ficará disponível para debate até o dia 25 de julho e orientará a oferta de educação básica e profissional no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE).

Escola quer romper paradigma carcereiro do sistema socioeducativo

Os educadores, pais, gestores, parlamentares, estudantes e pesquisadores poderão contribuir com a criação e desenvolvimento de unidades escolares nos espaços destinados ao cumprimento de medidas socioeducativas, o que contribui para o trabalho de socialização dos adolescentes.

Segundo Censo Escolar da Educação Básica, do Ministério da Educação, 20.317 adolescentes estavam matriculados em turmas de unidades de internação em 2014, com acesso à escolarização e formação profissional. Os dados não incluem os programas de semiliberdade e todas as modalidades em meio aberto.

Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás concentram o maior número de matrículas. Do total de estudantes que frequentam turmas em unidades de internação, 16.937 são homens e 3.380, mulheres.

Clique aqui para participar da consulta pública sobre educação escolar para adolescentes e jovens em medidas socioeducativas