Aprender na cidade

Programa de educação integral da cidade de São Paulo está aberto para consulta pública

Uma portaria da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP) que estabelece, a partir de 2016, o programa “São Paulo Integral” nas unidades de Educação Infantil, Ensino Fundamental e nos Centros Educacionais Unificados (CEUs) está aberta para consulta pública através da plataforma São Paulo Aberta até o dia 30/11.

A pasta justifica a proposta dizendo que a educação integral, “enquanto política pública de educação de uma cidade educadora”, articulará saberes e se apresentará “como potencialidade educativa nos espaços e territórios de circulação de crianças e adolescentes.” A secretaria cita ainda a “necessidade de estimular e implementar a expansão dos territórios e espaços educativos” da cidade.

Intencionalidade educativa

Entre os princípios do “São Paulo Integral” está “a cidade como território educativo em que os diferentes espaços, tempos e atores, compreendidos como agentes pedagógicos, podem assumir intencionalidade educativa e favorecer o processo de formação das crianças e adolescentes para além da escola, potencializando a educação integral e configurando-se assim como cidade educadora.”

Além disso, a organização curricular já existente será complementada por mais dez horas-aula semanais de atividades curriculares de expansão, contemplando os seguintes “Territórios do Saber”:

1- Comunicação, Oralidade e Novas Mídias;
2- Cultura, Arte e Memória;
3- Orientação de Estudos e Invenção Criativa;
4- Consciência Ambiental, Desenvolvimento Sustentável e Economia Solidária;
5- Ética, Convivência e Protagonismos; e
6- Cultura Corporal, Aprendizagem Emocional e Promoção da Saúde.

A plataforma permite que todos os cidadãos participem da construção dessa política pública e exponham seus pensamentos acerca do programa em comentários, que podem ser feitos em cada artigo, item e subitem do documento.