Criar na cidade

Cursinho do XI corre o risco de fechar por falta de espaço; veja como ajudar

O possível fechamento de 92 escolas estaduais de São Paulo vem gerando uma mobilização inédita de estudantes secundaristas em defesa de seu direito à educação. Hoje, mais de 150 escolas se encontram ocupadas por alunos em todo o estado. Com muito menos alarde, outra importante instituição de ensino corre o risco de encerrar suas atividades na capital paulista: o Cursinho do XI.

Voltado para estudantes de baixa renda, o cursinho popular – fundado em 1995 pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, vinculado à Faculdade de Direito da USP, e desde 2005 gerido pela Associação Pró-Cultura Cidadã, formada por professores – pode fechar as portas por conta da falta de recursos para pagamento de aluguel.

De acordo com Augusta Barbosa, professora do Cursinho desde 2004 e coordenadora desde 2010, o espaço se estabeleceu como uma forma de dar oportunidade a quem não tem condições de pagar para estudar, garantindo o direito de acesso à universidade pública. “A idealização de um cursinho não lucrativo se deu a partir da constatação de que, no Brasil,  o ensino universitário público e de qualidade é tomado, em sua maioria, por alunos provenientes de escolas particulares.”

O Cursinho do XI já teve três sedes: uma dentro do próprio XI de Agosto, outra na avenida Brigadeiro Luís Antonio e a última perto da estação Armênia do metrô.

A média anual de alunos gira em torno de 500 – com mais de 50% de aprovação em universidades públicas –, que arcam com uma pequena contribuição para o pagamento de professores e apostilas do Objetivo.

Segundo Rafael Albuquerque, ex-aluno e assessor de imprensa voluntário do Cursinho, o aumento no aluguel e a diminuição do número de alunos devido ao acesso mais amplo à universidade pública através de exames como o Enem e o Sisu fez com que o espaço chegasse nessa situação. Agora, com as turmas de 2015 encerradas antecipadamente, os membros do Cursinho estão correndo atrás de um espaço para reabrir em 2016.

Para tanto, a Associação Pró-Cultura Cidadã busca parceiros dispostos a atuar na transformação da sociedade, ajudando prioritariamente no aluguel de algum espaço para que o projeto continue. Os gestores aceitam qualquer tipo de doação. Mais informações através dos telefones (11) 2086 -8924 e (11) 9616-89535.

Estrutura

A estrutura pedagógica do Cursinho do XI é semelhante à de um cursinho convencional, com grade de aulas de segunda a sexta-feira nas áreas de exatas, biológicas e humanas. Aos sábados acontecem aulas especiais de matemática e redação básica, além de apresentação de filmes, teatros, saraus, debates, palestras, plantões de dúvida e simulados periódicos que visam treinar o conhecimento adquirido. “O Cursinho sempre preparou o aluno não apenas para entrar na faculdade, mas para criar uma consciência. Muitos vieram da escola e não tiveram essa consciência política e cultural tão importante”, afirma Albuquerque.

“Sempre estimulou-se o conhecimento não só de disciplina, mas de respeito e diversidade. Se o Cursinho do XI realmente fechar, a cidade de São Paulo perderia um projeto que é porta de entrada para as principais faculdades do Brasil. Em suma, as pessoas de classe baixa perderiam mais uma oportunidade de entrar na universidade”, finaliza.