Aprender na cidade

Formação para professores busca identificar potenciais educativos do território urbano

Com cerca de 200 inscritos, o curso “Potenciais Educativos do Território Urbano: rumo à Cidade Educadora” recebe neste sábado (12/3), a partir das 9h, os trinta professores da rede municipal de educação selecionados para as atividades de formação que estenderão até julho, em São Paulo. Entre os participantes, estão professores de escolas que aderiram ao São Paulo Integral, programa municipal de educação integral que teve início em 2016.

Com uma palestra sobre Cidades Educadoras, a abertura contará com a presença de Braz Nogueira, à frente da Diretoria Regional de Educação Ipiranga; Natacha Costa, diretora da Associação Cidade Escola Aprendiz; e Beatriz Goulart, arquiteta e educadora. O debate ocorrerá no Solar da Marquesa, um dos equipamentos do Museu da Cidade, localizado no centro da capital paulista. O local foi escolhido por ser patrimônio histórico e cultural, sendo parte integrante da oferta educativa da região.

Solar da Marquesa

Construído no século XVIII, o edifício que receberá o primeiro encontro da formação teve entre seus proprietários Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos. Sua presença tornou o prédio famoso pelas festas ali realizadas e por ser ponto de encontro da aristocracia paulistana. Ao longo dos anos, diferentes donos realizaram modificações em sua fachada e estrutura, comprometendo sua identidade.  Em 1975, o Solar da Marquesa passou a a integrar o patrimônio da prefeitura, mas somente 1990 teve início seu processo de restauração. Hoje o espaço é a sede do Museu da Cidade.

Com carga horária de 32 horas e previsto para circular por espaços do centro de São Paulo, o curso será regido pela Associação Cidade Escola Aprendiz, Pinacoteca do Estado de São PauloMuseu da Língua PortuguesaHey SampaApé – Estudos em MobilidadeUMAPaz, Movimento EntusiasmoAssociação NovolharInstituto Catalisador e CriaCidade.

Os temas que serão trabalhados no curso - mobilidade urbana, meio ambiente e cultura de paz, educação patrimonial e patrimônio cultural - integram as atividades que esses agentes educativos já desenvolvem no espaço urbano e buscam contemplar a diversidade de olhares para uma cidade.

A expectativa é que o curso contribua para ampliar as práticas pedagógicas inovadoras da rede, fortalecendo a articulação da escola com o território, assim como a relação dos professores com os diferentes agentes educativos da cidade.

Confira o mapa de escolas contempladas pelo curso: