Aprender na cidade

Congresso de Cidades Educadoras começa nesta quarta-feira; acompanhe em tempo real

Tem início nesta quarta-feira (1º/6) a décima quarta edição do Congresso Internacional de Cidades Educadoras, a ser realizado na cidade argentina de Rosário. O tema do encontro de 2016 é “Cidades: Territórios de Convivência”.

Para discutir os desafios da concepção e construção de Cidades Educadoras – que convida a pensar a cidade como um local de aprendizagem permanente, convivência e diálogo –, estarão presentes pessoas de diversos locais do mundo, entre elas prefeitos, vereadores, gestores públicos, estudantes e representantes de organizações da sociedade civil. A Associação Cidade Escola Aprendiz é uma das organizações brasileiras que participará do Congresso.

Para discutir os desafios da concepção e construção de Cidades Educadoras, estarão presentes pessoas de diversos locais do mundo.

Espaço público da cidade de Rosário (Argentina).

jazpdx

Organizadores do Congresso de Rosário lançaram um aplicativo sobre o evento. Programação, biografia e contato dos palestrantes, notificações em tempo real e informações turísticas são algumas das ferramentas presentes no app. Baixe aqui.

Até sábado (4/6), o evento promoverá conferências, mesas de diálogo, oficinas, visitas técnicas, reuniões, assembleias e premiações em torno de seus três eixos: “O desafio de construir as cidades”, “O desafio de habitar as cidades” e “O desafio da igualdade nas cidades”.

Nesta quarta-feira, a partir das 18h (horário de Brasília), acontece a conferência inaugural do Congresso, ministrada pelo filósofo francês Gilles Lipovetsky, autor do livro “O Ocidente globalizado: um debate sobre a cultura planetária”. Todo o evento contará com transmissão online.

De acordo com os organizadores do evento, ligados à Associação Internacional de Cidades Educadoras (AICE), o objetivo central do encontro é debater a “construção de cidades mais justas, apostando na convivência, na solidariedade e no respeito à diversidade, colocando a igualdade de oportunidades e a integração social como princípios que possibilitem essa construção”.