Aprender na cidade

Virada Educação faz de São Paulo um território educativo

Uma Virada se faz Com as Mãos, com Poesia, Trilhas, Costura e Brincadeiras. Ela se transforma com a Mão na Terra, com Conversas Urgentes e se perguntando Que País é Esse. Para construir uma Cidade Educadora, é preciso falar de Gênero e é indispensável ter Dança, Música, Cinema, Literatura, Contação de História, Teatro e também um tanto de Guloseimas. Se tudo ficar demais, sempre é tempo para parar e dar um Respiro.

É trazendo tudo isso que a 3ª edição da Virada Educação chega ao centro de São Paulo e ao bairro de Heliópolis entre os dias 17 e 20/8. Mais dilatada – com atividades ao longo de três dias, ao invés de apenas em um sábado -, a Virada conta com uma programação construída colaborativamente e quase inteiramente voluntária, visando “provocar novas apropriações de um território em direção à construção coletiva de uma comunidade mais conectada, que percebe o aprender e o ensinar espalhados por todos os lugares”.

Na região de Heliópolis, a Virada Educação ocupará a Praça Padre Pedro Balint, localizada ao lado da passarela que leva à comunidade e próxima ao final da rua Silva Bueno. No sábado (20/8), a partir das 10h, uma intervenção artística fará pinturas e desenhos para encher de cores o espaço público, que também terá oficinas de pião, mandala de lã e pom-pom;  às 13h, está programado um picnic coletivo e uma feira de trocas; e às 14h, jogos e brincadeiras ao ar livre encerrarão o evento.

No centro, a Virada irá tomar a praça Roosevelt, como tradicionalmente faz, assim como diversas outras escolas da região. O Portal Aprendiz selecionou algumas das atividades de destaque dentro de cada uma das categorias, confira!

Com as mãos: Guerrilha verde!

“Juntos vamos deixar a cidade mais verde. Com terra, sementes, água e muita mão na massa vamos produzir bombas de sementes que podem ser jogadas por aí em terrenos baldios, praças abandonadas e canteiros esquecidos!”, é o que se propõe a ação Guerrilha Verde, que acontecerá entre as 13h30 e 14h30, na EMEI Armando de Arruda, com a facilitação de Camila de Godoy, educadora da Escola Teia Multicultural.

Poesia: Cortejo com Ilú Obá de Min

Abrindo a Virada, no dia 17/8, das 19h às 20h30, o cortejo do Ilú Obá de Min, um coletivo afro composto apenas por mulheres, irá movimentar todo o território da Virada. O ponto de encontro é a Praça da República.

Conversas Urgentes: Slam da Resistência

O Slam – uma competição de poesias faladas de até três minutos – tomará a EE Caetano de Campos de assalto no dia 18/8, das 17h30 às 19h30. A atividade, organizada pelo Slam Resistência, visa se sintonizar com “os protestos, os movimentos sociais e o enfrentamento político em defesa da cultura, do meio ambiente e contra a truculência do Estado.

Trilhas: Caminhada ao longo do tempo

Uma caminhada de 4,6 km, correspondente á idade da terra de 4,6 bilhões de anos, visa contar a história da formação do planeta – de seu surgimento até chegarmos ao mundo moderno.  ”Nesta escala, cada metro caminhado corresponde a 1 milhão de anos. Cada passo ajuda os participantes a se conectarem com a imensidão do tempo geológico e com o planeta que nos sustenta”, afirma a descrição da Caminhada, que se propõe a ser uma atividade sensorial educativa. A atividade acontece no dia 18/8, das 8h30 às 11h, e será levada adiante por Denise Curi, pedagoga e doutora em Ciências.

Costura: Dicionário dos Afetos

A EE Caetano de Campos irá receber, no dia 19/8, das 8h às 10h, a oficina do Dicionário de Afetos, que, a partir de textos dos poeta Manoel de Barros, irá costurar um dicionário afetivo com os participantes. Ao final da atividade, coordenada pela pesquisadora e cientista social Natame Diniz, as palavras ficarão de presente para a Virada Educação.

Brincadeiras: Resgate de Brincadeiras

Pular corda com cantigas, girar bambolês, pular amarelinhas diversas, jogar peteca, fazer bolhas de sabão, pular elástico e brincadeiras com balões.  Estas serão algumas das brincadeiras que irão povoar a Biblioteca Monteiro Lobato entre 14h30 e 16h30 do dia 18/8. O evento será promovido por Aline Ribeiro, pedagoga e gestora cultural do Balloon Studio.

Com a Terra: Composteira – Uma construção coletiva com a escola

 minhocas

Ao longo do dia 18/8, a EMEI Gabriel Prestes irá receber um processo de construção coletiva de uma composteira, que transforma matéria orgânica em fertilizante para hortas, vasos, plantas e agricultura. A atividade, que começa às 9h30, será conduzida por Rex, Amanda Barros e Regiane Gomes, do Projeto Pequeno Sustentável.

Conversas Urgentes: Educação nos territórios – Conversa sobre experiências de educação viva

Roberta Rodrigues Alves, Lúcia Calil, Bruno Andreoni, Ana Claudia Marques e Márcia Freire, contando com a presença de diversos participantes, irão debater, com o apoio de fotos e vídeos de experiências educativas na África do Sul, em Minas Gerais e em São Paulo, o conceito de Educação Viva. A atividade acontece no sábado, 20/8, das 13h às 15h30, na EE Caetano de Campos.

Que país é esse: Criando um país

“Crianças e adolescentes são convidados a inventar países, com ampla liberdade, para pensar o mundo e a escola de seus sonhos. Os participantes são divididos em grupos de cinco a sete jogadores e recebem materiais (cartolina, lápis de cor, canetinhas) para a criação lúdica do país, além de perguntas orientadoras que vão conduzir algumas escolhas, da população à política desse lugar. Os jovens também serão provocados a pensar como a educação e a escola estão presentes nesse país fictício”. É assim que a atividade “Criando um país”, organizada pelo Pé na Escola, irá se desenvolver na sexta-feira, 18/8, na EE Caetano de Campos, das 8h às 9h30.

Guloseimas: Cozinha experimental + pão integral

A Cozinha Experimental – uma proposta na qual as crianças são convidadas a irem à cozinha com apoio de educadoras e familiares – irá fazer uma oficina de Pão Integral durante a Virada, na EMEI Gabriel Prestes. A atividade começa às 15h do dia 18/8.

Contação de histórias: A História dos cabelos crespos

Jô Pereira, produtora cultural, arte-educadora, ativista da mobilidade com bicicleta, ativista no combate ao racismo, irá promover uma contação de histórias sobre a origem dos cabelos crespos. “A narrativa é desenvolvida trazendo o conhecimento sobre a formação do povo brasileiro, o povo preto africano que foi arrancado de sua terra e enviado há 400 anos para o Brasil, sendo aqui escravizado.  Toda a cultura que chegou ao Brasil nesse processo, todas as diversas etnias que formam a nossa Cultura Afro-brasileira (yorubás, bantus, gegês) enriquecem nossa ancestralidade e herança cultural”, afirma a descrição do projeto, que “nasceu da importância da difusão da Lei 10.639/03 para as crianças na primeira fase da Educação, sensibilizando-as quanto à diversidade e a riqueza que a Cultura Afro-brasileira soma à nossa história, e um grande parceiro de combate ao Racismo”. O evento acontece no sábado, 20/8, das 10h30 às 12h, na EE Marina Cintra.

Gênero: Roda de papo sobre machismo no dia a dia

“Quando a gente fala de igualdade de gênero, parece papo de ONGs, grandes fundações, da ONU. Meta para 2080. Mas não. É um assunto de todos os dias. Como podemos olhar pra isso no nosso cotidiano? Entender quais pequenos atos sexistas cometemos, reproduzimos, sofremos – e como podemos adotar novos hábitos?”. É assim que se anuncia o bate papo proposto pela Comum, que acontecerá na Ocupação Pandorga, no dia 19/8, das 14h às 16h.

Dança: Oficina Corpoêcidade

A oficina Corpoêcidade, criada para promover “vivências cognitivas poéticas e sensoriais” que visam experimentar “novos lugares de comunicação e educação” pensadas na dimensão de Corpo, Território e Propósito, irá ser realizada nos dias 17, 18 e 19 de agosto, das 14h às 17h na EE Caetano de Campos. A oficina é pensada para jovens do ensino médio para fomentar o autoconhecimento e o empoderamento corporal.

Música: Músicas para brincar

O Coletivo Educadoras Cantadeiras – composto por mulheres professoras de educação infantil – preparou para a Virada Educação uma atividade com um conjunto de músicas para brincar. Acompanhadas musicalmente por caixa e ganzá, serão entoadas canções da cultura popular como jacaré boio, jabuti sabe ler, lavadeira do rio e outras. A atividade será realizada na EMEI Armando de Arruda, no dia 20/8, das 11h às 13h.

Cinema: Exibição do filme “O começo da vida” 

No dia 19/8, das 13h às 14h30, na EMEI Armando Arruda, será realizado uma exibição de trechos do documentário “O Começo da Vida”, seguida de uma roda de conversa para responder às perguntas: De quem é a responsabilidade por nossas crianças? Qual a importância de olhar para o começo da vida? O que sabemos sobre esses primeiros contatos com o mundo e como isso influencia toda a nossa sociedade?

Tecnologias: Educação Maker – Brinquedo como sucata eletrônica

Thais Avelino, formada em Sistemas de Informação, apaixonada por educação, atua no desenvolvimento de tecnologias educacionais e pesquisas sobre aprendizagem criativa. Ela irá conduzir uma atividade que “pretende desmistificar questões sobre o funcionamento da tecnologia, e despertar a curiosidade dos participantes, para atuarem de maneira criativa na transformação dos materiais em brinquedos e produtos eletrônicos”. A oficina acontecerá na EE Caetano de Campos, no dia 19/8, das 10h às 12h.

Artes visuais: O Jovem Aparelhado

Como ajudar o jovem à surfar na avalanche de imagens que brota diariamente nos dispositivos eletrônicos do mundo? Como analisar as novas imagens e potencializar suas comunicações? Essas serão algumas das atividades propostas por Roberta Dabdab, do projeto Fotografia Esvaziada, que propõe “uma conversa simples e clara sobre o  ’estar aparelhado e protagonista’ da sociedade a partir da comunicação imagética”, que acontece no dia 19/8, das 8h às 11h, na EE Caetano de Campos.

Teatro: Peça: Café com Leite

A EE Caetano de Campos, no dia 20/8, das 15h às 16h, irá receber a peça Café com Leite, no formato de Ensaio Aberto. Após a apresentação, haverá uma discussão sobre família, sociedade e sexualidade. A peça é da Cia. Teatral Liberdade Vigiada, composta por alunos de diversas séries da EE Pedro Alexandrino, que fica na zona norte da capital.

Respiro: Reconhecimento de árvores e conversa sobre natureza e (des)medicalização

Instituto Árvores Vivas, em conjunto com o Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade – GT Natureza, convida a população a perceber e aproveitar os elementos naturais presentes no meio urbano. Passeando pela Praça Roosevelt, irão identificar as espécies e origens das plantas e destacar seus benefícios. Após o passeio, uma roda de conversa irá elaborar a relação entre natureza e (des)medicalização, favorecendo a troca e a reflexão, caminhando “em uma direção mais humana, solidária, sustentável e, portanto, mais saudável”. Os caminhantes irão se reunir na Praça Roosevelt, na frente da EE Caetano de Campos, às 11h do dia 20/8.

Jogos: Oficina de Criação de Jogos

A Virgo Game Studios, uma empresa especializada na produção de games e projetos lúdicos ligados à aprendizagem e impacto social, irá propor uma atividade para ensinar jovens e adultos a criar games de forma lúdica e divertida, sempre ligados à temas de importância social ou de aprendizagem. A atividade acontece das 14h às 17h, na EE Caetano de Campos, no dia 19/8.

Confira a programação completa da Virada Educação São Paulo 2016.