Criar na cidade

Com mais de 800 atrações, Virada Sustentável revela potencial educador da cidade

“A Virada Sustentável não cria nada. Ela só revela e condensa diversos projetos, inúmeros coletivos e essas organizações que durante todo o ano fazem de São Paulo uma Cidade Educadora. A gente só precisa descobri-la”, acredita André Palhano, que, há seis anos, organiza na cidade a Virada Sustentável.

Convidando os paulistanos a “virarem sua cidade”, o evento se espalhará pela capital do estado entre 25 e 28/8. Se a crise afetou os patrocínios – a Virada arrecadou metade do que  conseguiu em 2015 -, a articulação da sociedade civil mostrou sua força e o projeto terá ainda mais atrações do que no ano passado, destacando seu caráter voluntário e colaborativo.

Definida por Palhano como “um festival de educação para a sustentabilidade”, a Virada terá mais de 800 atividades lúdicas – arte, cinema, teatro, instalações – “para que as pessoas possam se divertir e ampliar sua consciência sobre o desafio da sustentabilidade”. Sustentabilidade essa que, para o idealizador da Virada, vai muito além do meio ambiente.

Virada terá muitas atividades voltada para o público infantil.

Virada terá muitas atividades voltadas para o público infantil.

Virada Sustentável l Flickr

Para além do verde

Desde seu início, o projeto tem colaborado para ampliar o conceito de sustentabilidade para mobilidade, direitos humanos, cidadania, erradicação da pobreza – tudo aquilo que, segundo o organizador, é capaz de fornecer um desenvolvimento sustentável para a humanidade. “Estamos em sintonia com os 17 objetivos da Agenda 2030 das Nações Unidas. Achamos que ela sintetiza o conjunto de ações capazes de avançar na construção de um mundo sustentável.”

A Virada terá ações por toda São Paulo – contando com atividades em diversos Centros Educacionais Unificados (CEUs) pela capital. Um de seus principais polos será o Parque do Ibirapuera, com feiras de trocas, jardim sensorial para bebês, oficina de horta infantil, sarau, festival de curta e muito mais. Ainda no parque, a Universidade Livre do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ) terá uma rica programação com filmes, caminhadas e debates e também o seminário Se essa rua fosse minha… Vamos ouvir as crianças?, que será realizado no dia 26/8 (sexta-feira), das 9h às 17h30.

No dia 27/8, o Feed Truck, do Projeto Satisfeito, distribuirá gratuitamente mil petiscos na Praça dos Arcos ou na Praça Victor Civita, das 12h às 18h. “As iguarias serão elaboradas por chefs de cozinha convidados e uma equipe de voluntários, que utilizarão técnicas que aproveitarão integralmente os alimentos que seriam normalmente desprezados em feiras e mercados para produzir receitas criativas, saborosas e nutritivas”, explica Marcos Szrajer, coordenador do projeto.

Também se destacam na programação um meditação no topo do icônico Edifício Martinelli, no centro de São Paulo, e o Horticultura na Quebrada, que realizará, em São Miguel Paulista, na zona leste da capital, um festival de arte, cultura e sustentabilidade. No sul da zona sul, o coletivo Imargem também realizará sua Virada, com um tour de bicicleta pela região do Grajaú e muitas outras atividades culturais.

Meditação na cobertura do Edifício Martinelli.

Meditação na cobertura do Edifício Martinelli.

Virada Sustentável l Reprodução

Mas isso é apenas uma amostra da ampla gama de atrações que o evento irá trazer para São Paulo, com oportunidades de lazer e conscientização para todas as idades. Para conferir a programação completa, acesse o site da Virada Sustentável. Nele, é possível encontrar as atividades que estarão mais perto da sua localização e viajar pelo mapa da cidade, mostrando a programação disponível em cada região. Também há a opção de criar sua própria programação da Virada através de uma ferramenta interativa, assim como descobrir como contribuir para a cobertura colaborativa do evento.