Criar na cidade

Com corte de verbas, estudantes da EMIA e do PIÁ ficam sem aula em São Paulo

Há quase 37 anos, a Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA) funciona, ininterruptamente, como parte da Secretária Municipal de Cultura, atendendo mais de mil estudantes de 5 a 12 anos no contraturno escolar. A experiência inspirou o surgimento do Programa de Iniciação Artística (PIÁ), que promove o direito ao acesso à cultura com crianças de diversos distritos de São Paulo. Agora, com o congelamento de 43,5% da verba da pasta da Cultura pela gestão de João Dória (PSDB), todas as crianças atendidas pelos programas estão sem aula.

Escola municipal de iniciação artística está com aulas suspensas.

Crianças ocupam parque durante atividade da EMIA. (Crédito: Prefeitura de São Paulo)

“Todo ano os professores são contratados em um regime anual. Só que agora [devido aos cortes] eles não foram efetivados. Segunda-feira era a data da volta às aulas, mas já fomos avisados que elas estão suspensas. É muito triste porque é uma escola única”, lamenta Márcia Élida, presidente da Associação de Pais e Ex-Alunos da EMIA (APEA).

Márcia, que participa da vida da escola há dez anos e cuja filha é estudante, diz nunca ter presenciado um processo assim, mesmo com as seguidas mudanças de gestão na Prefeitura de São Paulo. “É horrível isso ser interrompido assim, com crianças novas chegando, com as que já estavam querendo continuar. Apenas nos comunicaram que as aulas estão suspensas. Nós, os pais, estamos mobilizados e queremos uma resposta.”

Portal Aprendiz entrou em contato com a Secretaria de Cultura que não quis entrar em detalhes, mas confirmou a suspensão das aulas e a necessidade de aprovação do orçamento pela Secretaria da Fazenda para que a EMIA retome as atividades.

A EMIA

A escola funciona nos períodos da manhã e da tarde de segunda a sexta-feira, dentro do Parque Lina e Paulo Raia, no bairro do Jabaquara. Desde sua fundação, trabalha com formação e iniciação cultural de crianças, focando sempre em autonomia e liberdade. Totalmente pública, a EMIA recebe estudantes de toda a cidade. A inscrição é gratuita e acontece por sorteio, dado que as vagas são limitadas.

O modelo autogestionário e aberto da escola ajudou a formatar uma metodologia de ensino de artes que mistura diversas linguagens artísticas em um percurso formativo de artes visuais, dança, teatro e música. Conheça a história da EMIA na matéria “Há 35 anos, escola pública de artes ensina com liberdade e autonomia”, do Portal Aprendiz.