Aprender na cidade

Seminário Internacional reflete sobre a vida das crianças nas cidades

O que se pode dizer sobre a vida das crianças nas cidades? O que se tem estudado, produzido e discutido sobre meninos e meninas que vivem em cidades, provavelmente como decorrência da concentração da população nos lugares onde estão os serviços e as possibilidades de emprego?

Estas serão algumas das perguntas que orientarão o Seminário Internacional Infâncias Sul-americanas – Crianças na Cidade, Políticas e Participação, a ocorrer entre os próximos dias 7 e 10 de março, na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (Av. da Universidade, 308 – Butantã).

“Sabe-se que mudanças nos padrões de trabalho adulto, nas estruturas e dinâmicas familiares, no trabalho pedagógico, na organização e delimitação de percursos de circulação, nos espaços de moradia e dos serviços públicos são elementos de impacto na organização social das vidas das crianças, incluindo onde elas passam o tempo, com quem elas passam e como esse tempo é estruturado e organizado”, afirma o texto de divulgação do encontro, que pretende reunir pesquisadores de universidades sul-americanas para refletir sobre a relação das crianças com os espaços urbanos e suas intervenções na cidade, além de discutir políticas e ações do Estado e de movimentos sociais em busca de compreender as crianças nas relações macrossociais.

Organizado em cooperação com a rede internacional de pesquisadores Southern Childhoods, o seminário defende que estudar a participação da infância na sociedade significa repensar as práticas e os discursos que permitem a compreensão, o reconhecimento e a inclusão destes atores sociais. “Compreender a participação das crianças nos diferentes contextos sociais em que vivem implica buscar conhecê-las a partir delas próprias e suas distintas práticas”, afirmam os organizadores.

“Além do interesse na participação das crianças nas instituições, pretende-se ainda conhecer as relações das crianças com a cidade, objeto visto como oportuno para o reconhecimento de como tem-se dado ou não a participação das crianças em âmbitos e condições diversificadas, tais como, moradias populares e ocupações, praças e ruas.”

Confira a programação completa do Seminário Internacional Infâncias Sul-americanas e faça a sua inscrição no evento.

(A foto que ilustra esta matéria é de autoria de Mateus André, via Flickr/Creative Commons)