Aprender na cidade

Porteiro amigo do idoso: Projeto fomenta ambientes seguros e acolhedores nas grandes cidades

Quando chega em casa com sacolas, Izel Ponzini, 83 anos, é rapidamente ajudada pelos porteiros do condomínio. O mesmo acontece se, por acaso, chegar uma encomenda para ela em um momento que não consegue descer na portaria: os funcionários colocam o objeto cuidadosamente no elevador e enviam para o andar da moradora.

No condomínio Maison Thyber, localizado na Chácara Inglesa, zona sul de São Paulo, todos os funcionários estão preparados para tratar os moradores idosos com carinho e cuidado. Com pelo menos 60% dos moradores com mais de 60 anos, o condomínio foi um dos participantes da formação Porteiro Amigo do Idoso, iniciativa do Grupo Bradesco Seguros que pretende capacitar profissionais de portaria a oferecer soluções adequadas às necessidades de moradores idosos.

O projeto foi criado em 2010, a partir de uma pesquisa com cidadãos longevos do bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, que mostrou o porteiro como “melhor amigo do idoso”. Desde então, as formações expandiram-se para os estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. Na capital paulista, foram treinados até agora 625 porteiros.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de idosos no Brasil (60 anos ou mais) era de aproximadamente 26,1 milhões de indivíduos, equivalente a 13% do total. Até 2050, a estimativa é que esse universo triplique.

A metodologia do curso, desenvolvida pelo Senac RJ, inclui uma vivência para que os alunos se coloquem no lugar dos idosos, como óculos para dificultar a visão, pesos nos pés e aparelho auricular. De acordo com os criadores do projeto, ele contribui para a segurança, autonomia, mobilidade e independência da população longeva moradora de grandes centros urbanos.

Totalmente gratuito, com 12 horas de aulas divididas em três dias, procurando sempre atender aos horários convenientes a esses profissionais, o Porteiro Amigo do Idoso aborda situações comuns para quem convive com pessoas longevas no dia a dia.

Projeto Porteiro Amigo do Idoso pretende capacitar profissionais de portaria a oferecer soluções adequadas às necessidades de moradores idosos.

Formação acontece em cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Reprodução

“Sou uma idosa de 83 anos”, começa Izel. “É preciso ter um pouco mais de paciência e carinho, e aqui os funcionários têm, com certeza. Quando chega alguém, eu não preciso descer; se estou ocupada, só busco quando puder. Se não puder, por algum motivo, eles mandar pelo elevador, com muita delicadeza e educação.”

Vivendo há vinte anos no mesmo local, Izel Ponzini mora sozinha desde que ficou viúva, há dois anos. Desce pouco para a área comum do condomínio, mas sempre que o faz é ajudada pelos porteiros e funcionários em geral. “É muito bom dar carinho e receber carinho de volta.”

A próxima turma do projeto acontece entre os dias 11 e 13 de abril, em São Paulo. Há vagas disponíveis.

Para Ana Maria Cristina Afonso, subsíndica do condomínio desde 2013, a formação veio ratificar alguns procedimentos que os funcionários em geral já tomavam. “Como já tínhamos um público formado na sua maioria por idosos, sempre tivemos cuidados e uma ótica diferente para esses moradores. O curso nos orientou com dicas e procedimentos mais corretos, dentro da limitação da função de cada um, com informações técnicas.”

Um ponto positivo, segundo Ana Maria, é que a preocupação passou a ser a mesma entre todos os funcionários. “O nosso trabalho em equipe está mais afinado.” Alguns dos cuidados tomados pelos porteiros do condomínio compete ao contato visual com o morador idoso. “Se não acontecer por mais de dois dias, os funcionários procuram esse morador de uma forma que não invada seu espaço, mas apenas para saber se ele está bem”, afirma a subsíndica. “São pequenas atitudes que, na verdade, os fazem se sentir mais protegidos. Em alguns casos, simplesmente ligam na portaria para conversar, desabafar e até mesmo chorar.”

Projeto Porteiro Amigo do Idoso pretende capacitar profissionais de portaria a oferecer soluções adequadas às necessidades de moradores idosos.

Material de apoio do curso.

Reprodução

Durante a formação, a porteira Adriana Conceição Alves sentiu na pele as dificuldades que passam os idosos. “Não tinha ideia. O curso foi muito importante. Hoje, aprendo muito com os idosos, passando confiança e sabendo escutar.”

“Tudo o que eles passam para mim hoje eu guardo, pois daqui alguns anos vou estar nessa situação e vou precisar do apoio de alguém. Mesmo quando sair do condomínio, a minha amizade com eles vai continuar”, finaliza Adriana.