Aprender na cidade

Encontro com as Infâncias discute novas famílias e a importância do brincar

O Mapa Brasileiro da Infância (MIB) e o Cadê Bebê promovem, entre os meses de agosto e novembro, a segunda edição dos Encontros com as Infâncias, série de conversas com profissionais das mais diferentes áreas sobre temas contemporâneos da infância. O intuito é trazer profundidade para o tema e refletir sob diversas óticas as questões relacionadas às infâncias. “O trabalho com crianças é de tamanha complexidade que precisa ser estudado e compreendido de forma profunda”, afirma Adriana Friedmann, coordenadora do MIB e uma das curadoras dos encontros.

Segundo Adriana, os últimos 30 anos foram de muitos avanços nos estudos e práticas sobre a área de infância, um processo fundamental para educadores, ativistas e outros atores que atuam em prol das crianças e da infância. “Por conta de tanta disseminação e compartilhamento de ideias, consideramos importantíssimo tratar com profundidade as temáticas que inquietam os educadores e outros profissionais: trata-se de mostrar que, muito além de movimentos, ativismo ou adesão a estas causas, as práticas cotidianas junto às crianças provêm de consistentes estudos, pesquisas e reflexões”, explica.

Encontros com as Infâncias 2017

Quando: de 19 de agosto e 25 de novembro, aos sábados, das 9h30 às 12h30
Local: Cadê Bebê – R. Emanuel Kant, 175 A, Itaim Bibi, São Paulo – SP
Inscrições: via formulário online
Custo: R$80,00 (presencial), R$70,00 (online)

Neste ano, os temas abordados serão “as camadas mais profundas do brincar” e “novas estruturas familiares e contemporaneidade”. Os temas foram escolhidos após consulta com diversos agentes que acompanham diariamente as crianças, como ativistas, educadores, organização e parceiros do MIB e do Cadê.

“O brincar ainda permanece um tema que inquieta – já que, mesmo com amplos estudos, eventos e legislação a este respeito, continua a ser um desafio a ser levado ao dia a dia das criança. Já as famílias e suas estruturas constituem o núcleo básico onde as crianças crescem. As famílias, passam, nesse momento da História, por uma fase crítica que precisa ser compreendida e apoiada”, argumenta Adriana.

Os encontros, que serão expositivos seguidos de bate-papo, acontecem aos sábados, das 9h30 às 12h30, em São Paulo, mas é possível assisti-los online. Confira a programação completa:

19 de Agosto – Gandhy Piorski: Simbolismo e significados ocultos do brincar
26 de Agosto – Marilia Dourado: O impacto profundo do Brincar na proposta de Reggio Emilia
2 de Setembro – Vera Iaconelli
16 de Setembro – Ana Carol Thomé: O brincar na natureza: fundamentos e práticas
30 de Setembro – Susana Soares: A compreensão profunda das ideias de Emmi Pickler
7 de Outubro – Alexandre Coimbra: Família e contemporaneidade: o diálogo com a multiplicidade de formas de ser
21 de Outubro – Reinaldo Nascimento: As profundezas do brincar: as propostas da Pedagogia de Emergência e do movimento Waldorf
28 de Outubro – Adriana Klysis: Pesquisas de jogos e brincadeiras: criatividade e formação
11 de Novembro – Kátia Keiko Matunaga: Experiências lúdicas e artísticas com as crianças e as famílias
25 de Novembro – Gabriela Romeu: A poética e os bastidores das pesquisas com as infâncias e o brincar