Aprender na cidade

Projetos internacionais marcam presença na 32ª Mostratec

A Mostratec, em Novo Hamburgo (RS), é reconhecida como a maior feira de ciência e tecnologia da América Latina. Em sua 32ª edição, jovens cientistas de 20 países apresentaram seus trabalhos em diferentes áreas do conhecimento, como gestão ambiental, ciências sociais, medicina e saúde.

Distribuídos pela feira, os estudantes internacionais fizeram de seus estandes verdadeiros centros de conhecimento sobre seus países, com mapas, cartões postais e até roupas típicas. Seguindo a mesma tônica dos estudantes brasileiros, seus trabalhos buscavam apresentar soluções para problemas locais, como o manejo do café, o resgate da memória do país ou o déficit energético.

Confira alguns destaques:

1. Detecção de Diabetes tipo 2 pelo pH da saliva (Argentina)

Na Mostratec, projeto argentino encontrou relação entre o pH da saliva e diabetes

O estudante Facundo de Mezzo, de 17 anos, resolveu pesquisar uma possível relação entre o ph da saliva e o diabetes tipo 2. Para isso, realizou testes com 20 pessoas que tem a doença e 20 que não. Esse tipo de teste (realizado em jejum para garantir a confiabilidade dos dados) é barato e de fácil aplicação. Foi então que Fecundo descobriu que os diabéticos apresentavam pH mais ácido, em torno de 5,5 -  descobrindo assim que alteração no pH pode ser um alerta para a comunidade a respeito dessa doença.

 2. “Space herbs”, o cultivo de plantas com aeroponia (Itália)

Na Mostratec, estudantes italianos apresentam alternativas para o cultivo de plantas

Gambarim e Gaburro são dois estudantes italianos que criaram um protótipo de horta vertical. O objetivo era usar a aeroponia (cultivo em meio aéreo) como solução para problemas como disponibilidade de solo e água para plantações. O protótipo desenvolvido capta energia solar através de um painel fotovoltaico, que alimenta o sistema e usa uma tubulação por onde correm os nutrientes absorvidos pela plantas. Nesse método, há economia de água e energia e, a longo prazo, as espécies cresceram mais do que a média.

O projeto dos estudantes foi laureado como o Projeto Destaque da Itália na 32ª Mostratec.

 3.Recuperação e aproveitamento dos subprodutos gerados da extração e processamento do café na Instituição Educativa Efraín Orozco (Colômbia)

Estudantes colombianos apresentam alternativas para o manejo do café na Mostratec

No município de Cajibió, na Colômbia, o café ocupa um papel importante na economia local. No entanto, seu manejo gera resíduos ambientais e desperdício. Com base nesta realidade, os estudantes Santiago, Nelly e Darinson resolveram intervir, propondo que sua comunidade escolar pensasse outros usos para o que, até então, não era aproveitado, como a polpa e a mucilagem. O resultado foi a produção de licor, geleia e até um um secador de grãos que utiliza o bioetanol como combustível.

O projeto dos estudantes foi laureado como o Projeto Destaque da Colômbia na 32ª Mostratec.

4. Efeitos anti-cancerígenos da planta “Colchicum umbrosum” em pacientes com câncer cervical (Turquia)

Três estudantes turcas desenvolvem pesquisa sobre tratamento ao câncer e apresentam na Mostratec

Três estudantes de Istambul pesquisaram o efeito da Colchicum umbrosum (flor muito comum no Egito e na Turquia) na supressão de células cancerígenas em pacientes com câncer cervical. Yeliz, Ïrem e Greta iniciaram o projeto no Ensino Médio e o aprimoraram nos últimos dois anos, comparando a destruição de células cancerígenas tanto com os medicamentos quimioterápicos quanto com a flor escolhida por elas. Descobriram que a Colchicum umbrosum foi bem sucedida e agora esperam que esse seja o ponto de partida para estudos com a espécie em tratamentos medicinais.

A pesquisa das estudantes turcas ficou em 2° lugar na categoria “Medicina e saúde” na premiação da 32ª Mostratec.

 5. O robô que auxilia o ensino de programação (Argentina)

Juan González expõe seu protótipo de robô didático na Mostratec

Juan González expõe seu protótipo de robô didático na Mostratec

Nana Soares

Em Mendoza, o estudante Juan González estava insatisfeito com os métodos utilizados para ensinar robótica e programação às crianças.  Segundo ele, as práticas educativas não estimulavam a autonomia, a criatividade e consequentemente não eram atrativas. Por isso, desenvolveu um “robô mascote”, que além de ser amigo das crianças, também ensina programação. Com interface amigável, o protótipo é voltado às crianças que estão em fase de alfabetização.

O projeto de Juan González ficou em 3° lugar na categoria “Ciências da Computação” na premiação da Mostratec.

6) Conhecendo a vida eclesiástica do antigo povo de Barranca através do Arquivo Colonial (Peru)

Na Mostratec, alunos peruanos expõem pesquisa de resgate histórico da cidade de Barranca

Já os estudantes Jose e Angela fizeram um projeto de resgate de memória e identidade. Os jovens debruçaram-se em uma pesquisa historiográfica no Arquivo Colonial da cidade de Barranca, próxima à capital Lima. O foco foram os arquivos eclesiais dos séculos 17 e 18.

Não escapou aos olhos dos estudantes os mecanismos utilizados pela Igreja para reprimir o povo peruano, como a extirpação de identidades dos indígenas e a criação de leis e sistemas jurídicos pelas próprias autoridades da Igreja. Para os autores da pesquisa, o trabalho é de fundamental importância para o resgate da história de Barranca, especialmente às vésperas do bicentenário de independência do país (a ser comemorado em 2021).

A repórter Nana Soares viajou a Novo Hamburgo a convite da Mostratec.