Criar na cidade

“Vídeo nas Aldeias” lança plataforma de streaming com 88 filmes com temática indígena

*Publicado originalmente no site Instituto Socioambiental (ISA)

 

O Vídeo nas Aldeias lançou uma nova plataforma de streaming (transmissão online) para os seus filmes. O projeto (hoje, uma ONG), fundado por Vicent Carelli, registra desde 1986 a realidade dos povos indígenas no Brasil e promove, desde 1997, a formação de cineastas indígenas nas aldeias. Já foram feitas mais de 127 oficinas, 8 mil horas de gravação e vídeos com mais de 31 povos.

Por meio deste link, é possível assistir a 88 filmes, em streaming ou por download, e que podem ser comprados ou alugados por uma semana. Até então, os vídeos eram distribuídos em DVD mas, segundo Carelli, o streaming permite ampliar o acesso ao material.

O objetivo do projeto não é apenas registrar culturas, mas revelar visões de mundo múltiplas e complexas. Segundo a organização, são vozes que resistem à invisibilidade e ao apagamento a que têm sido submetidos os povos nativos no Brasil. Desde o princípio, a intenção é apoiar as lutas dos povos indígenas para fortalecer suas identidades e seus patrimônios territoriais e culturais, por meio de recursos audiovisuais e de um produção compartilhada com as comunidades.

cineasta Vincent Carelli mostra para mulher indígena câmera

Vincent Carelli com índia Nambikwara, no PI Negarotê, no Mato Grosso, em 1986 / Crédito: Beto Ricardo – ISA

A organização também lançou uma campanha de filiação. É possível filiar-se ao Vídeo nas Aldeias com uma contribuição mensal ou anual (veja aqui). Para Carelli, que é diretor e antropólogo, o país vive um momento de desmonte da cultura e da educação, e o projeto tem encontrado dificuldades para expandir o processo de formação de cineastas indígenas. “São tempos que exigem redes de solidariedade e financiamento coletivo”, explica.

Para o Vídeo nas Aldeias, “em um momento de grave retrocesso dos direitos fundamentais dos povos indígenas no país, a expressão audiovisual torna-se estratégica, rompendo com as narrativas hegemônicas e criando espaços de legitimação, visibilidade e ressonância da diversidade cultural destas populações e de suas demandas”. A contribuição, segundo o projeto, é indispensável para a continuidade das atividades.

A nova plataforma também disponibilizou gratuitamente por um mês o premiado filme Martírio, dirigida por Vincent Carelli com co-direção de Tita e Ernesto de Carvalho. Basta acessar o link, clicar em comprar e liberar o filme com o código promocional KAIOWA.

Em abril, Carelli ganhou homenagem do Cônsul-Geral do Reino dos Países Baixos por ter recebido em 2017 o prêmio Príncipe Claus, concedido anualmente para pessoas que contribuíram para a cultura e o desenvolvimento social.