Transformar a cidade

Cobertura fotográfica do terceiro dia de manifestação contra o aumento da passagem, em SP

A noite da última terça-feira, dia 11 de junho, em São Paulo, foi marcada pelo terceiro Ato Contra o Aumento da Passagem, organizado pelo Movimento Passe Livre (MPL). Aproximadamente 10 mil pessoas marcharam pelas ruas do centro e da Avenida Paulista pela redução da tarifa do transporte público de R$3,20 para R$3. Como não poderia deixar de ser, o ato carrega um grande interesse social e, portanto, é um legítimo objeto jornalístico.

Durante esta cobertura, diversos jornalistas sofreram violência policial e foram presos, entre eles o repórter do Portal Aprendiz, Pedro Nogueira, indiciado por crimes de dano qualificado e formação de quadrilha. O jornalista foi preso enquanto estava no exercício profissional, testemunhando para registrar o ato. Nogueira estava comigo, afinal eu fazia parte do time do Aprendiz da cobertura do ato.

Nogueira esteve preso no 2º Distrito Policial, no Bom Retiro, nos últimos dois dias. A cobertura das fotos da manifestação da noite de terça em São Paulo estão nesta publicação, resultado de meu trabalho. E de Pedro. O texto ele não conseguiu fazer. Aqui na redação, em seu lugar há apenas uma cadeira vazia, e ainda vemos a caneca de seu indispensável chimarrão.

Anteontem, imagens feitas por um morador da região mostraram o momento em que Nogueira foi brutalmente agredido e preso. Em nota oficial, na terça, a Associação Cidade Escola Aprendiz, da qual o Portal Aprendiz é um braço de comunicação, disse: “A ação contra os jornalistas de forma geral naquela noite constitui um ato de censura por parte do Estado e das forças policiais. Da mesma forma que não apoia os danos ao patrimônio público trazidos por parte dos manifestantes, o Aprendiz repudia o abuso de poder e o cerceamento da liberdade de expressão que foram flagradas por parte da polícia militar neste evento. Lamentamos que, ainda nos dias de hoje, alguns jornalistas sejam calados forçosamente, vítimas de uma censura que parece ter sido herdada do tempos da Ditadura Militar. É o país inteiro que perde com isso”.

Leia abaixo a nota oficial do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo exigindo a libertação do jornalista do Portal Aprendiz, Pedro Nogueira.

A direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) enviou no dia 12 de junho ofício à Secretaria de Segurança Pública no Estado de São Paulo exigindo esclarecimentos e a imediata libertação do jornalista Pedro Ribeiro Nogueira, do Portal Aprendiz, que foi detido arbitrariamente durante os protestos contra o aumento das tarifas do transporte público na noite do dia 11.

No ofício enviado pelo SJSP, a entidade reforça a condição de jornalista de Pedro e diz que sua prisão arbitrária fere a liberdade de imprensa. “Ele é inscrito junto ao Ministério do Trabalho e Emprego MTb como Jornalista Profissional Diplomado, trabalha para o Portal Aprendiz (www.aprendiz.uol.com.br), que estava presente à manifestação contra o aumento da tarifa do transporte publico ocorrida em 11/06/2013, realizando trabalho de cunho jornalístico, conforme assegura o Decreto-Lei n° 972/69, que regulamenta a profissão. Desta forma, configura a prisão um atentado a “Liberdade de Imprensa”.

O Portal Aprendiz também divulgou nota informando que o profissional estava em serviço quando foi detido. “Na noite de ontem, o repórter do Portal Aprendiz, Pedro Ribeiro Nogueira, foi preso durante cobertura da manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público na capital paulista. Assim como outros jornalistas, Nogueira foi agredido e detido pela Polícia Militar, embora estivesse apenas trabalhando na cobertura dos fatos”, informa o texto.

O SJSP também manifestou sua solidariedade aos familiares do jornalista detido e se colocou à disposição do advogado do profissional para qualquer eventualidade.