Criar na cidade

Jovens ocupam praças de Promissão (SP) com cultura e educação

Com a colaboração de Vinicius Savron

“Transformar a cidade com uma arte viva e popular e induzir à efetiva participação da comunidade, eis a minha intenção”. A frase de Alex Vallauri, artista italiano, radicado em São Paulo, serviu de lema para a criação do Festival de Expressão de Potenciais (FEP), realizado na cidade de Promissão, no interior do estado de São Paulo.

Espetáculo de dança nas ruas da cidade.

“Jovens e adultos de Promissão, com maior poder aquisitivo, se locomovem facilmente até a cidade de São José do Rio Preto, há 100 quilômetros daqui, para ver um filme, uma exposição ou uma peça de teatro. Mas e os que estavam excluídos dessa possibilidade? São justamente estes que motivaram a criação do projeto”, conta Sabrina Ferro, 18, voluntária do FEP.

A ideia do evento, que acontece periodicamente nas ruas e praças da cidade, é reunir a diferença para promover mudanças na sociedade, tendo como instrumento de união a cultura. Para isso, realizam festivais em praças públicas e contam com a participação ativa dos jovens com suas opiniões.

E é deles  que vem a sustentação do projeto: escoteiros, defensores da causa animal, esportistas e diversos outros grupos da cidade se juntaram à organização para viabilizar o Festival, que também conta apoio da prefeitura municipal. “Queremos inspirar e sensibilizar a juventude para atuar na sociedade, valorizando suas ações e estimulando um trabalhado em rede, em benefício do bem comum da cidade”, afirma Juliana Foz, uma das organizadoras.

Ação

No começo, o local escolhido para o evento era a praça principal, marca registrada das cidades do interior e espaço de sociabilidade. Com o êxito, outras praças de bairros ao redor começaram a receber as apresentações, de forma itinerante, uma vez por mês.

Dentre as atividades realizadas, estão a coleta de lixo, a criação de um espaço infantil com contação de estórias e de outro para promover saúde, a feira de doação de animais, a feira de troca de livros, um espaço para prática de skate, banco de voluntariado, apresentações de música e dança, com jovens talentos da cidade.

Grafite sobre Zumbi dos Palmares marca o Dia da Consciência Negra.

O FEP também já realizou campanhas contra o bullying e, no final de 2013, aproveitou o dia da Consciência Negra para promover o debate sobre raça no Brasil e uma atividade especial no dia das crianças.

“A cultura é uma necessidade de todos e a segregação não condiz com a essência humana. Com certeza é o início de uma jornada de quem acredita que o caminho para um mundo melhor são crianças e jovens em contato com educação e cultura. E a única forma de fazer isso é mostrando a importância que o papel que eles cumprem na sociedade”, se entusiasma Sabrina.

Conheça mais sobre o projeto na página do FEP no Facebook.