Criar na cidade

Pedala Manaus inclui ciclistas na rotina urbana da capital amazonense

Os últimos quatro anos foram transformadores para os ciclistas de Manaus. De forma inesperada, o que era apenas uma reunião informal de amigos que gostavam de pedalar à noite nas ruas, acabou ganhando centenas de adeptos, revelando um movimento por mobilidade urbana inédito na cidade.

“Manaus é uma cidade que se desenvolveu muito economicamente nos últimos anos, e os carros dominaram a cidade, deixando a bicicleta totalmente marginalizada. Antes não era possível se mover por bicicleta, os pedestres se sentiam mais seguros andando nas ruas do que nas calçadas e as bikes eram completamente discriminadas”, relata a professora universitária Lanny Uchôa, uma das integrantes do coletivo.

O cenário nada favorável aos ciclistas assemelha-se com a realidade de outras capitais do país. Sem espaço, é comum ver os habitantes que optam pela bicicleta como meio de transporte se organizarem para que sejam reconhecidos como personagens do trânsito.

“Com essa ideia, o grupo foi crescendo, o uso do Facebook para marcar encontros foi fundamental. Isso gerou o Pedala Manaus, um movimento que realiza voluntariamente ações em prol da mobilidade por bicicleta”, explica Lanny. Entre as atividades que desenvolvem, destaca-se a formação de 40 novos ciclistas por semana, além de um trabalho de educação para o trânsito realizado em parceria com a prefeitura para capacitar professores do ensino fundamental na modalidade.

Segundo Lanny, as formações ajudam a população a perceber que a bike é um modal de transporte urbano muito eficiente em Manaus, “mesmo sendo uma cidade muito quente e com poucas árvores”. O estudante de administração Mayk Silva Ferreira é um exemplo disso: convidado por Lanny para colaborar com um estudo do Pedala Manaus, passou a se interessar pelo tema, participar dos passeios e, desde agosto de 2013, usa uma magrela para se deslocar no dia a dia.

Em 2014, o Pedala Manaus – representado por Lanny e Mayk através do Centro Universitário do Norte (UniNorte) – foi um dos finalistas do Prêmio Here For Good, promovido pela Laureate International Universities. A iniciativa reconhece e apoia projetos universitários que contribuam para melhoria econômica e social do entorno das instituições de ensino.

“Me dedico ao Pedala Manaus, porque acredito que pedalar ajuda a resgatar o sentimento cidadão, o respeito ao próximo. Eu mudei minha relação com as pessoas na rua, a forma como vejo a cidade. Fiquei até menos tímido”, brinca Ferreira.

Futuro sobre duas rodas

Além de transformar a cultura e o imaginário das pessoas acerca do transporte urbano, o Pedala Manaus colabora e pressiona o poder público a incluir as bicicletas e os ciclistas nas políticas públicas que envolvem a cidade. A Ponte do Rio Negro, que liga a capital do estado a Iranduba, hoje pode ser percorrida sobre duas rodas graças à mobilização gerada pelo coletivo.

No momento, a população aguarda a inauguração de uma ciclovia que contou com apoio do Pedala Manaus para que ser viabilizada. Ao longo de quatro anos, a iniciativa privada também foi sensibilizada e hoje há diversos locais com biciletários. “A população ignorava esse personagem importante da mobilidade. Agora ele está nas ruas, se sentindo seguro, consciente de sua participação e exigindo seu espaço”, conclui Lanny.