Transformar a cidade

Coletivo inverte lógica do vazio e ocupa praça em São Paulo

Por Mayara Penina
Do VilaMundo

Se você mora ou trabalha perto do Largo da Batata, em Pinheiros, e sempre passa por ele com pressa, sem notar os detalhes da praça, comece a reparar que toda sexta-feira, depois do expediente, um grupo de pessoas se reúne naquele espaço que parece vazio. Trata-se do movimento A Batata Precisa de Você.

A Operação Urbana Faria Lima, responsável pela chamada “reurbanização” do Largo da Batata, foi concluída em dezembro de 2013. Somente na segunda fase, foram investidos R$ 146,5 milhões. Entre as mudanças realizadas está a implantação de um bicicletário (que já está pronto mas ainda não foi inaugurado), a melhoria das calçadas e obras de acessibilidade.

Com relação ao paisagismo, os moradores e frequentadores afirmam que o projeto deixou a desejar. As araucárias, espécie de pinheiro que originou o nome do bairro, não vingaram e o local não oferece abrigo para a chuva ou sol.

Preocupada com esse espaço público mal utilizado, a moradora e arquiteta Laura Sobral decidiu no começo deste ano reunir amigos e família para um encontro no local, um “leituraço”. O que não passava de dez pessoas, em geral ligados a movimentos de apropriação do espaço público, foi tomando proporções maiores e outros membros se propuseram a colaborar. Nasceu assim o “A Batata Precisa de Você“.

Desde o começo de 2014, cadeiras, guarda-sóis, grama artificial e redes se transformam em um novo tipo de mobiliário urbano para a região. É o que Laura, que também é produtora cultural, chama de “ocupação por gambiarra”.

A programação de atividades tem sido diversa, com oficinas, intervenções, apresentações. A festa junina colaborativa que ocorreu recentemente impressionou pelo número de participantes. “O simples fato de reunir pessoas neste lugar já faz com que elas pensem sobre ele”, defende Laura. “A ideia é que o Largo permita momentos de ‘estar’. Que possamos passar um tempo lá e ir embora”, conclui a urbanista.

Nesta sexta-feira (4/7), dia de jogo do Brasil contra a Colômbia, o coletivo que atua no Largo da Batata vai se reunir para assistir a partida em um bar da região e, logo após, deve se concentrar no local para ver shows e participar da oficina de estampa de camisetas.