Aprender na cidade

No Chile, Escola Espiral valoriza contato com a natureza

do Centro de Referências em Educação Integral.

Nascida do desejo de se ter um local de aprendizagem mais interessante, significativo e até divertido para as crianças, a Escola A Espiral – localizada na cidade de La Serena, no Chile – foi idealizada por um casal de pais educadores. Diante de um contexto educacional em crise, a instituição chilena propõe a “construção de um novo paradigma educativo, onde se prime pelo respeito à individualidade e coletividade do ser humano”.

Afastada do centro de La Serena, a escola valoriza o contato com a natureza  e entende o indivíduo como parte de um contexto natural, que deve ser preservado. Compreendida como eixo central da formação dos seres humanos, a educação é vista como uma ferramenta para o desenvolvimento de relações sociais que se baseiam no respeito aos direitos humanos e para a construção de uma sociedade que ofereça mais possibilidades de desenvolvimento integral dos indivíduos.

Crianças em atividade.

Crianças em atividade.

Divulgação

Ciclos contínuos

Desde 2012, a iniciativa funciona como uma escola regular, com cerca de 30 crianças entre quatro e 14 anos de idade. Atualmente, a unidade atende a crianças e adolescentes que são divididos em quatro ciclos, de acordo com o grau de maturidade e autonomia.

Inspirada pelas ideias de Paulo Freire e pelas pedagogias Waldorf e Montessori, a Escola Espiral – como o nome sugere – se apoia na metodologia de aprendizagem em ciclos contínuos, indicando que o aprendizado ocorre progressivamente, e vai se aprofundando – rumo ao centro da espiral.

O método se vale de cinco habilidades: ver, imaginar, pensar, compreender e criar – que são a base do processo de aprendizagem e da construção de conhecimento. Paralelamente, o método busca estimular as dimensões artística, motriz, social, científica e filosófica.

Alunos brincam enquanto aprendem.

Alunos brincam enquanto aprendem.

Divulgação

Na prática pedagógica, o estudante é convidado a perceber seu entorno, começar a estabelecer conexões, elaborar pensamentos, compreendendo os fenômenos e criando novas ideias. Uma aula sobre fotossíntese, por exemplo, começaria no jardim, com as crianças observando as plantas e percebendo as diferenças entre elas. De volta à sala de aula, os alunos representariam aquilo que foi percebido por meio de diálogos, trabalhos escritos ou desenhos. A partir disto, se faria a conceituação da fotossíntese e a conclusão se daria com um trabalho criativo, com o estudante se apropriando do que foi aprendido e modificando o conteúdo original, como explica o Blog Memoriaccion.

Gestão

A organização escolar também se dá pela ideia da espiral, com a direção se situando no centro e envolvendo outros atores da comunidade e das famílias dos estudantes em uma perspectiva dialógica e de construção coletiva e democrática.

EscolaAEspiralAinda sem reconhecimento do Ministério da Educação chileno, as crianças que passam pela escola devem realizar exames para obter a certificação oficial. Os professores d’A Espiral apoiam os alunos nos trâmites burocráticos e na preparação para a prova.