Aprender na cidade

No Maranhão, adolescentes criam projeto que estimula a reinserção social de detentos

O projeto Raiar da Liberdade, criado por Hyan Lucas de Oliveira, aos 11 anos, é uma prova do potencial da ciência para transformar a realidade de lugares e pessoas. Natural de Imperatriz, a segunda maior cidade do Maranhão (247 mil habitantes), o estudante resolveu agir diante da crescente onda de violência que atingiu o município nos últimos anos.  Convidou o pai, dono da bicicletaria Bodim, para ajudar na criação de uma proposta que envolvesse trabalho, geração de renda e reinserção social dos presos da cidade.

RaiarDaLiberdade

Assim nasceu o Raiar da Liberdade, um projeto que oferece aos detentos da Unidade Penitenciária Regional de Imperatriz (UPRI) acesso à capacitação profissional em montagem e manutenção de aros e rodas de bicicleta.

“Além de ensinar as técnicas de mecânica, queremos proporcionar uma maior ocupação do tempo para essas pessoas e estimulá-las a ter uma boa conduta”, explicou Hyan Lucas. “Nosso objetivo final é diminuir o número de encarcerados. Hoje, 90% dos presos que saem da UPRI não retornam para ela.”

No proposta, as 15 pessoas com maior pena são divididas em três turnos diários, das 7h30 às 17h30. A cada roda enraiada, a família do detento recebe R$1,75. “É uma maneira de incentivar o trabalho, que é feito com maior vigor e entusiasmo, já que o preso sabe que sua família não estará desamparada”, relatou o jovem, hoje com 14 anos.

De acordo com os estudantes, a penitenciária de Imperatriz enfrenta problemas como superlotação das celas, infraestrutura precária e falta de espaço.

De três em três meses, os encarregados pela manutenção das rodas são trocados, para que outros possam participar. Hyan Lucas lembra ainda que, de acordo com a Lei de Execução Penal, a cada três dias de trabalhos prestados é diminuído um dia do cumprimento da sentença.

O Raiar da Liberdade fez tanto sucesso que, em maio de 2011, o projeto foi oficialmente implementado, em uma parceria da bicletaria Bodim com o governo estadual e a Sejap (Secretaria da Justiça e da Administração Penitenciária).

Hyan Lucas, Annie e Gabriel representarão o Brasil em feira de ciência jovem no México.

Hyan Lucas, Annie e Gabriel representarão o Brasil em feira de ciência jovem no México.

Danilo Mekari

Ciência pela cidade

Realizado em parceria com Gabriel Queiroz, de 13 anos, “A efetividade do projeto Raiar da Liberdade com encarcerados em Imperatriz (MA)” foi o grande vencedor da Mostratec Jr.: ganhou o 1º lugar geral, o 1º da área social e também o 1º para estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano). Por isso, foi selecionado para representar o Brasil na Proyecto Multimedia Kids, feira de ciência jovem que ocorrerá em março de 2015 em Guadalajara (México).

Confira aqui a cobertura completa da Mostratec 2014 e a lista de premiados da Mostratec Jr.

Para chegar à Mostratec, primeira feira de âmbito nacional dos garotos – e também a primeira viagem de avião sem os pais –, o projeto ganhou a mostra científica do Colégio Santa Luzia, de Imperatriz. “Não foi fácil para chegar aqui, já que a ciência não tem muito incentivo na nossa cidade. Quem nos deu condições financeiras para vir e poder trazer nossa orientadora foram nossos pais e a Escola Santa Teresinha”, comentou o pequeno cientista, lembrando que eles pagaram a hospedagem, transporte e inscrição da feira.

Raiar Da LiberdadeDurante a Mostratec, a orientadora Annie Bahia estava orgulhosa de seus estudantes. “É incrível ver como dois jovens usam a metodologia científica para amenizar os problemas da nossa cidade. Eu os trouxe justamente para terem a experiência de uma feira e entenderem que a ciência é importante e abre muitas portas.”

Além dos prêmios principais, Hyan Lucas também foi escolhido como autor da melhor frase sobre ciência entre os participantes da Mostratec: “Nós temos que utilizar a ciência e tecnologia para resolver os problemas que um dia poderiam ter sido evitados por nós mesmos”.

O jovem acredita que seu trabalho toca em um tabu da sociedade contemporânea. “Mostramos que gente pequena pode e deve se importar com gente grande, e não apenas o contrário. Depois desses prêmios, seremos um exemplo para a nossa escola, já que os outros alunos verão que existe continuidade no projeto.”

O estudo dos garotos mostrou que 92% da população de Imperatriz concorda com projetos de ressocialização dos presos, e 80% acredita que eles têm relevância para a sociedade. Ainda descobriram que, em 2013, 11% tinha conhecimento do projeto; hoje, esse número atinge 34%.

Gabriel afirmou que o Raiar da Liberdade pretende se aperfeiçoar, ensinando os detentos a montar bicicletas inteiras, e não apenas aros e rodas. “Queremos também melhorar a atuação do projeto no Presídio São Luís 1, no Complexo de Pedrinhas.”

Depois de uma semana intensa, a experiência na Mostratec ficará guardada na memória dos garotos. “Foi tanta felicidade que deu vontade de ter uma caixa para guardar um pouco para depois”, ressaltou Hyan Lucas sobre a premiação. “Ainda não caiu a ficha que vamos representar o Brasil em uma feira continental”.

O repórter Danilo Mekari cobriu a Mostratec a convite da Fundação Liberato.