Criar na cidade

Prêmio busca ações que valorizam a igualdade racial e de gênero nas escolas brasileiras

Identificar, reconhecer, difundir e apoiar boas práticas pedagógicas e de gestão de escolas que promovam e valorizem a diversidade étnico-racial e de gênero nas escolas brasileiras, criando assim um ambiente mais propício ao surgimento de uma cidade democrática.

Esse é o objetivo do Prêmio “Educar para a Igualdade Racial e de Gênero: experiências de promoção da igualdade em ambiente escolar”, que chega à sétima edição com novidades: a introdução da abordagem de gênero com foco na valorização da mulher – especialmente afro-brasileiras, africanas, quilombolas e indígenas – e da educação em escolas quilombolas.

Realizado bienalmente desde 2002, o Prêmio Educar para a Igualdade Racial e de Gênero constituiu um acervo de mais de 2.300 práticas pedagógicas e de gestão desenvolvidas em todos os 27 estados do Brasil. Este acervo reflete a diversidade étnico-racial existente no país, divulgando práticas pedagógicas que abordam não apenas a África, os africanos e os afro-brasileiros, como também os povos e nações indígenas, quilombolas, ciganos, japonês e população migrante em geral.

O prêmio é dividido nas categorias “Professor”, que busca práticas pedagógicas realizadas por docentes, e “Escolas”, destinada às instituições de ensino que realizam boas ações de gestão escolar. Reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) como uma das principais ações de promoção da igualdade étnico-racial na educação, o concurso é uma iniciativa do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT).

Os trabalhos selecionados levarão prêmios de R$ 5 mil para professores e de R$ 10 mil para as escolas, além de cursos de formação e notebooks (confira mais no edital). As inscrições para o 7º Prêmio Educar para a Igualdade Racial e de Gênero estão abertas até o dia 31/03/2015.