Criar na cidade

15 anos após projeto, mosaico de azulejos é resgatado na Vila Madalena

do VilaMundo.

“Se São Paulo fosse soterrada, daqui há 10 mil anos, arqueólogos iriam escavar e encontrar os nossos azulejos, porque o material resiste”. A frase dita despretensiosamente no vídeo do Projeto 100 Muros, hoje faz sentido.

Coluna de mosaicos foi resgatada pelo grupo Mosaico Paulista, na Vila Madalena.

Isso porque, no final de novembro deste ano, uma ação do grupo Mosaico Paulista teve a felicidade de encontrar, sob camadas de tintas de um muro na praça Edgard Tomaz de Carvalho, na Vila Madalena, um mosaico de azulejos. Eles foram pintados por crianças do 100 Muros, projeto da ONG Associação Cidade Escola Aprendiz, 15 anos atrás.

“Foi muito emocionante”, afirma a mosaicista Regina Shahini, uma das responsáveis pelo Mosaico Paulista. “Comecei a raspar a parede e reparei um azulejo assinado por uma criança. Todo mundo se mobilizou e começamos a limpar o muro, focados em trazer esse trabalho de volta”, conta.

Grupo se mobiliza para resgatar trabalho feito em 1999, pela Associação Cidade Escola Aprendiz.

Coberto por tinta cinza e pixação, os mosaicos estavam quase imperceptíveis. “Ficamos enraivecidos com a prefeitura. O muro só foi pixado porque estava pintado de cinza, tinta da época da Cidade Limpa”, desabafa Regina. No ano de 2006, foi criada a Lei da Cidade Limpa pela Prefeitura Municipal de São Paulo, com o entendimento de que as intervenções artísticas nos muros deveriam ser pintadas de cinza, pois poluíam a cidade.

Entre 1999 e 2001, 100 muros foram trabalhados a partir de oficinas comunitárias de arte que instigavam a reflexão e o debate sobre cidadania, envolvendo diretamente cerca de 20.000 pessoas e transformando a relação dos moradores com seus bairros. Saiba mais.

Os azulejos desenhados pelas crianças e inseridos em diversas partes da cidade foram produzidos durante uma oficina do Aprendiz em homenagem aos 450 anos de Salvador, no Projeto Axé, com a participação de 250 crianças. Parte da produção ficou na capital baiana, num mural da Vila de Roma, e a outra veio para São Paulo, como presente para a cidade.

Inicialmente, o Mosaico Paulista estava na praça para colar o trabalho de 50 artistas nacionais de todos os estados, com o mapa do Estado de São Paulo. “Criei o grupo com um amigo porque estávamos tentando fortalecer os mosaicistas de São Paulo”, relata Regina.

Mosaico Paulista recebe 400 mapas enviados de todo o país, e também do estrangeiro.

Após convocação no Facebook, em março deste ano, para que artistas enviassem mosaicos com o formato do estado de São Paulo, o grupo não contava com tanto sucesso. Foram 400 mapas enviados de todo o país, e também do estrangeiro, como Holanda, Chile, Argentina e França, que ainda vão ser espalhados pela região. “Queremos fazer uma segunda etapa desse projeto dos mapas também em outras partes na cidade”.