Transformar a cidade

Seminário Internacional discute a cultura da violência contra a mulher

Nos dias 20 e 21/5, instituições comprometidas com a igualdade de gênero e com os Direitos Humanos vão realizar o primeiro Seminário Internacional Cultura da Violência contra as Mulheres.

Leia mais sobre violência de gênero no Portal Aprendiz
5 intervenções urbanas de combate à violência contra as mulheres
Site quer fazer mapa colaborativo da violência contra a mulher no Brasil
Cartilha leva informações sobre violência obstétrica às mulheres

O evento acontece no Sesc Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, e é organizado pelo Instituto Vladimir Herzog e Instituto Patrícia Galvão, em parceria com a ONU Mulheres, a Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo federal e a Fundação Ford. A proposta é criar condições para enfrentar essa questão no campo da cultura.

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), no mundo, sete a cada dez mulheres já sofreram ou irão sofrer violência em algum momento da vida. E, por dia, seis mil mulheres sofrem mutilação genital. Já de acordo com a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), durante a próxima década mais de 100 milhões de meninas poderão ser vítimas de casamentos forçados.

Durante dois dias, ativistas, especialistas e representantes de órgãos nacionais e internacionais – entre eles convidados da África do Sul, Arábia Saudita, Chile, Colômbia, Costa Rica, Espanha, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Índia, Jamaica, México, Nicarágua, Peru, Portugal e Quênia – se reunirão para definir estratégias de ação a serem compartilhadas por lideranças, governos, instituições, pesquisadores e cidadãos conscientes.

Para os organizadores, a desconstrução da cultura da violência de gênero exige não apenas o reconhecimento da dimensão do problema, como também a adoção de ações efetivas para o enfraquecimento dessa cultura, em suas diversas formas de manifestação. O Seminário será dividido nos seguintes temas: cultura global da violência contra as mulheres; difusão dessa cultura entre a juventude; papel da mídia; e ações do Estado no enfrentamento da questão.

Mais informações sobre as inscrições em breve no site do Instituto Vladimir Herzog.