Criar na cidade

Plataforma Áreas Verdes das Cidades mapeia parques urbanos

Por Débora Gonçalves, do VilaMundo

Fazer um passeio em algum dos parques da cidade não é apenas uma atividade recreativa, mas uma experiência cultural. Pelo menos é essa a proposta da plataforma Áreas Verdes das Cidades, que apresenta um panorama do patrimônio natural existente nos parques urbanos. O site disponibiliza uma série de informações sobre cada parque mapeado, mostrando a história destes espaços e tudo o que eles têm para oferecer por meio de fotos, vídeos e mapas de localização.

De acordo com a equipe responsável pela plataforma, o projeto do Áreas Verdes das Cidades teve início com o próprio editor do site, que “viaja muito, especialmente a turismo, e sempre que ele vai a alguma cidade ou país diferente procura parques para visitar, fotografar e filmar”.

Ao clicar no link de um dos mais de 110 parques registrados no site, o leitor é direcionado para uma página com diversas informações sobre a infraestrutura do local, a melhor maneira de chegar até ele, suas principais atrações, a história do parque, curiosidades sobre sua fauna e flora, além de vídeos e muitas fotos.

A equipe do Áreas Verdes das Cidades relata que as resenhas sobre os parques são feitas com base em folhetos e livros disponíveis nas administrações dos locais, assim como em conversas informais com os responsáveis por eles.

“No futuro esperamos contar com a ajuda de internautas que moram em outras cidades para nos ajudar, mas isso exige uma logística complicada, além de recursos financeiros que ainda não temos, visando manter o padrão editorial de qualidade das postagens, o que não abrimos mão”, completam.

Parque Sena, localizado em palmas do Tremembé, foi um dos últimos a ser adicionado à plataforma. Com ares de praça, o espaço foi idealizado no panorama de um novo conceito de educação ambiental na região. No site, a indicação é de uma caminhada pelas trilhas do parque, de onde se pode observar a rica vegetação ao redor.

A meta do Áreas Verdes das Cidades é não só apresentar um panorama cultural e natural dos parques urbanos, mas também incentivar as visitações nestes locais e, claro, sua preservação.