Aprender na cidade

Escola de Avós une educação e cidadania para promover saúde entre idosos

Com informações da Rádio Nacional de Brasília

Todo primeiro sábado do mês, a sede do Corpo de Bombeiros de Ceilândia (DF) se transforma para receber homens e mulheres com mais de sessenta anos, dispostos a vivenciar experiências que contribuam para o seu envelhecimento ativo. Batizada de “Escola de Avós”, a iniciativa integra o Programa de Atenção Integral da Saúde do Idoso, que funciona em todo Distrito Federal desde 2011.

Segundo a coordenadora do projeto, Adriene Vieira, a proposta é oferecer não só ações de saúde, mas também atividades voltadas para o exercício da cidadania. Isso porque o idoso que é ativo, autônomo e independente se torna menos vulnerável à violência e à outras situações que o fragilizam, que são muito comuns em idade mais avançada.

Intersetorialidade

Para sair do papel, a Escola de Avós precisou do esforço de articulação de diferentes áreas do poder público, academia e terceiro setor. São eles: Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado de Educação, Secretaria Especial do Idoso, Secretaria de Ação Social e Transferência de Territórios, Secretaria de Esporte e Lazer, Corpo de Bombeiros e Escola Técnica de Saúde – ETESB/ FEPECS), além do Sesc, Liga de Gerontologia/UnB, Pastoral da Pessoa Idosa, entre outros.

Em quatro anos de vigência, Adriene nota que o público vem aumentando e que os primeiros participantes continuam frequentando as atividades. Mas, para garantir o engajamento não apenas da população idosa, a coordenadora chama atenção para a necessidade de apoio da sociedade e de um olhar que contemple as várias dimensões quando se fala em desenvolvimento integral de idosos.

“O papel da sociedade é muito importante para fortalecer o projeto, porque a gente realiza, mas precisa do apoio de parceiros que venham somar e agregar mais valor, porque a saúde não está apenas na condição física, ela tem várias dimensões”, afirma, indicando o papel do trabalho em rede nas comunidades onde as pessoas idosas estão inseridas.

Por isso, embora seja fruto de uma parceria de instituições governamentais e privadas, o foco da Escola das Avós é na mobilização da comunidade e dos territórios para assegurar seu funcionamento. Com atividades que vão da massagem, passando pela dança, tai chi chuan, até oficinas de reciclagem e artesanato, a escola é inteiramente gratuita e pode ser acessada através do telefone (61) 3471-9220.