Aprender na cidade

Cursos online incentivam paternidade ativa e discussão de gênero na educação

Aberto, gratuito, online e público, o curso Envolvimento dos Homens: Saúde + Paternidade e Cuidado, criado pela Coordenação Nacional de Saúde do Homem em parceria com o Instituto Promundo e Comunidade de Práticas está com inscrições abertas.

Com carga horária de 60 horas o curso objetiva discutir questões relevantes ao exercício da paternidade, com foco no cuidado, abordando temas como gênero, sexualidade, diversidade sexual, família, violência e masculinidades.

Para se inscrever é necessário fazer registro no site do Comunidade de Práticas e acessar o curso “Promoção do Envolvimento dos Homens na Paternidade e no Cuidado”. De lá, é possível acessar os conteúdos e trocar informações com estudantes e professores.

Elaborado com foco em profissionais de saúde da atenção básica, o projeto também se volta ao público em geral e oferece subsídios para quem quer pensar a paternidade de uma maneira ampla.

“É comum excluirmos os homens desses debates, focando apenas nas mulheres. Mas quanto mais engajarmos homens e mulheres na discussão de seus direitos, estaremos contribuindo para uma sociedade com equidade de gênero. A equidade de gênero implica que os interesses, necessidades e prioridades, tanto de mulheres quanto de homens, sejam levados em consideração na discussão de seus direitos, reconhecendo a diversidade dos diferentes grupos de homens e mulheres”, aposta a página do curso.

Paternidade e primeira infância

Na semana passada, a Rede Nacional da Primeira Infância, disponibilizou os registros do Seminário Nacional Paternidade e Primeira Infância, que aconteceu em agosto deste ano. É possível baixar o Relatório Técnico do Seminário Nacional Paternidade e Primeira Infância, assim como acessar um kit de vídeos.

Nele, há um resumo do seminário e entrevistas com especialistas sobre “Paternidade, Educar, cuidar e brincar com as crianças”, “Paternidade e prevenção à violências contra as crianças”, “Paternidade: desafios para os meios de comunicação” e “Unidade de Saúde Parceira do Pai”.

(A imagem que ilustra essa matéria é de Lu Lacerda, via Flickr/Creative Commons)