Aprender na cidade

Professoras usam criatividade para levar bebês para aprender na cidade

Caixas de feira, rodas e tinta. Foi esse o material necessário para que duas professoras de Guabiruba, no Vale do Itajaí (SC), estendessem a sala de aula para toda a cidade. Com o apoio de alguns conhecidos e um toque de invenção e criatividade, elas desenvolveram um carrinho que transporta os bebês da Escola Municipal Professora Edite Bozano Alves de Souza pelo bairro.

Professora leva bebês para aprender na cidade.

Professora leva bebês para aprender na cidade.

Divulgação

A invenção das professoras é um sucesso nas redes sociais. Desde o dia 23 de fevereiro, quando a imagem do carrinho foi postada no Facebook da Prefeitura de Guabiruba, mais de 90 mil compartilhamentos contribuíram para disseminar a novidade pelo Brasil.

Localizada na comunidade rural de Aymoré, a escola busca diversificar as atividades pedagógicas, incluindo saídas para o território no seu currículo. Com uma jornada integral para ser cumprida, as professoras Carolina Kistner e Fabiula Boos Oliota logo perceberam a importância de ampliar as oportunidades educativas para além dos muros da escola.

Ao site G1, elas declaram que “a creche não é só um local em que os pais deixam as crianças para trabalhar, mas um espaço de aprendizagem e de muito amor”. Além de transformar o processo de aprendizagem, as professoras envolvidas com a iniciativa relatam que é visível o impacto da presença dos bebês nas ruas. “Muita gente não resiste à fofura desses passageiros e até faz fotos.”

Em São Paulo, por volta do ano de 2003, a arquiteta e urbanista, Beatriz Goulart, especializada em ambientes escolares, já havia projetado algo semelhante para ser usado nos Centros de Educação Unificados (CEUs) do município. Dentre as unidades que adotaram a proposta está o CEU Butantã.

Experiência similar já aconteceu no CEU Butantã

Experiência similar já aconteceu no CEU Butantã

Beatriz Goulart l Divulgação