Aprender na cidade

E se São Paulo fosse uma escola?

“E se Brasília fosse atingida por uma tempestade de areia e virasse um deserto com a esplanada em ruínas? E se as ruas de São Paulo virassem escolas?”. Assim é apresentado o debate “Brechas Urbanas – A Ordem Não É o Contrário da Fantasia“, que será realizado na quinta-feira, (31/3), às 20h30, no Itaú Cultural.

Mediado por Natália Garcia, do Cidade para Pessoas, a edição de março do “Brechas Urbanas” irá trazer dois artistas para perguntar “de maneira fantástica, coisas sérias”. São eles: Nicolas Behr, poeta cuiabano radicado em Brasília, autor de Beije-me, Braxília; A Teus Pilotis; BrasíliA-Z e Poesiília, Poesia Pau-brasília; e André Gravatá, poeta, educador, coautor do livro Volta ao Mundo em 13 Escolas e do livros de contos Sublime e organizador da Virada Educação.

Um poema pode ter uma estrutura rígida, racional, mas isso não impede que seus versos estejam carregados de fantasia. E o mesmo vale para a cidade, que tem bastante espaço para a imaginação em meio à aparente ordem de suas ruas”, propõe o evento, que terá transmissão ao vivo pelo site do Itaú Cultural e acessibilidade em libras.

O debate será realizada na Sala Vermelha do Itaú Cultural, que fica na Avenida Paulista, 149, próximo ao metrô Brigadeiro. Com ingressos gratuitos (70 lugares) distribuídos com meia hora de antecedência, o evento é livre para todos os públicos.

(Foto: Apolo Salomão Sales l Flickr/Creative Commons)