Aprender na cidade

Roda de conversa online debate papel da empatia na educação

“Meu material escolar mais importante para a volta às aulas não cabe em uma mochila, não pode ser encomendado online; é tão essencial quanto um lápis, mas diferentemente de um, nenhuma tecnologia pode substitui-lo. Por um lado, assim como uma caixinha de giz de cera, ele pode vir em diferentes cores. Melhor que o aparelhinho mais moderno, melhor que a última tendência, ele pode ser equipado em todos os estudantes e, quando o fazemos, ele pode transformar o mundo em que vivemos. (…) Meu material é a empatia”.

Foi assim que a escritora Homa Tavangar definiu a importância da empatia na educação, em artigo traduzido pelo Centro de Referências em Educação Integral. Para debater as nuances, potências e caminhos deste tema, estudantes, professores e jornalistas se reunirão com os educadores Helena Singer, José Pacheco, Pilar Lacerda, Braz Nogueira, Natacha Costa, Ana Lucia Villela, Wellington Nogueira, Rosely Sayão, Auro Lescher e com o ex-ministro da educação, Renato Janine Ribeiro, na roda de diálogo virtual “Empatia na educação de crianças e jovens transformadores”.

Organizado pelo Programa Escolas Transformadoras, iniciativa global da Ashoka correalizada pelo Instituto Alana no Brasil, o debate tem como objetivo “construir, coletivamente, um entendimento sobre a importância da empatia, como um valor e como uma competência que pode ser ensinada e cultivada na escola. Acredita-se que tal habilidade tem profunda relação com a busca por formar crianças e jovens transformadores, capazes de resolver os problemas sociais de nosso tempo, isso porque a postura empática pressupõe abertura para acolher a diversidade e agir em prol do bem comum”.

O debate será transmitido virtualmente na quinta-feira (19/5), das 15h às 18h, através da página do Escolas Transformadoras, que podem ser acessada aqui.

(A foto que ilustra a matéria é de Lobregs, via Flickr/Creative Commons)