Aprender na cidade

Livros sobre diversidade e compartilhamento são lançados com leitura colaborativa

Um urso polar, carregando uma maleta com um adesivo que pede o fim do aquecimento global, chega ao polo sul, valendo-se da criação de seu amigo, o Pássaro Amarelo, que inventa e distribui novas tecnologias. O pássaro, que não podia voar, também se beneficiou da invenção e foi conhecer uma terra onde tudo é diverso. Lá, encontrou o Monstro Rosa, que após uma longa peregrinação, encontrou um lugar que o aceita e o chamou de casa.

É assim, de maneira entrelaçada, que os livros “Monstro Rosa” e “Pássaro Amarelo”, da espanhola Olga de Díos, chegam ao Brasil, lançados pela coleção Boitatá, da Editora Boitempo, dentro do selo “Monstro Rosa”.

A coleção Boitatá já lançou os livros “A Democracia pode ser assim”, “A Ditadura é assim”, “Homens e Mulheres” e “O Que São As Classes Sociais?”, que apresentam uma outra maneira de discutir política e gênero com as crianças. Saiba mais na matéria Livros infantis assumem o desafio de falar sobre ditadura e democracia com crianças, do Portal Aprendiz.

Indicados para crianças de cinco anos em diante, os livros buscam trabalhar, com uma leitura sensível e delicada, temáticas próprias à formação cidadã, como igualdade de gênero, compartilhamento, diversidade afetiva e sexual, consumo responsável e livre divulgação da cultura (por isso mesmo, o “Pássaro Amarelo”, que fala sobre diversidade, criatividade e compartilhamento, é registrado em Creative Commons e pode ser reproduzido livremente).

O “Monstro Rosa”, definido em sua contra-capa como “um grito de liberdade”, conta a história de uma criatura grande e rosa que nasce de um ovo diferente. Em um mundo absolutamente normal e branco, a criatura não consegue participar das brincadeiras e normas daquele mundo. Dotada de sua alegria, parte pelo mundo de bicicleta, até encontrar uma terra onde tudo é diverso. Lá, encontra seu lugar.

interna2

Já o “Pássaro Amarelo” narra a vida de uma inventiva ave amarela que, por ter asas curtas, não pode voar. Superando a tristeza, ela desenvolve um aparato tecnológico que a permite, assim como as outras aves, conhecer o mundo. Os planos de suas invenções são livres – e acabam sendo usado por diversos outros animais.

Para marcar o lançamento destes livros, a editora irá promover, neste sábado (23/7), uma contação de histórias sob o tema “Por que todo mundo nasce diferente?”. O evento, que acontece de maneira gratuita no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura (Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073) promete uma manhã de atividades, à partir das 11h, com a performer Kiara Terra, que usa o método “história aberta” para construir colaborativamente as contações.