Transformar a cidade

Curso gratuito na USP ensina a fazer mapeamento comunitário

Será realizado no início de setembro, na Universidade de São Paulo (USP), um curso introdutório de cartografia social e mapeamento comunitário, que pretende instrumentalizar estudantes da universidade e demais interessados com ferramentas para criação de mapas dos territórios onde habitam. O curso irá ensinar o funcionamento do software QGIS de forma prática e com enfoque social, realizando mapeamentos com uso de dados públicos e gratuitos, como os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Geosampa, que serão observado “através da ótica da desigualdade”.

O que é o QGIS?

O QGIS é um Sistema de Informação Geográfica (SIG) amigável, ou seja, um programa para criar mapas, registrado sob licença de Software Livre. O programa é um projeto oficial da Open Source Geospatial Foundation (OSGeo) e fornece um número crescente de capacidades através de suas principais funções e complementos. A partir dele, é possível visualizar, gerenciar, editar, analisar os dados e compor mapas impressos.

O curso, que foi formulado e será ministrado pelos estudantes Amanda Benedetti, Bernardo Chrispim, Eric Filipe, Gustavo Pagador, Hugo Nicolau Barbosa de Gusmão, com apoio do professor Eduardo Girotto, surgiu durante discussões de sala sobre o papel da geografia e sua relação com os movimentos sociais. “Pensamos em como levar essa relação para além da academia, rompendo a lógica de só pesquisar movimentos sociais, começando a participar efetivamente deles”, afirma Hugo Nicolau Barbosa de Gusmão, que também mantém o blog Desigualdades Espaciais.

“O público alvo são pessoas que tenham interesse em aprender cartografia e se interessem por questões sociais e queiram, por exemplo, mapear os movimentos culturais na sua região, criar um mapa denunciando a ausência dos serviços básicos no seu bairro, comparar o nível de escolaridade do bairro onde estuda e onde trabalha etc.”.

Ao longo do curso, cada aluno e aluna irá criar um mapa de sua região e analisar fatores sociais como rede de saúde, escolas, meios de transporte, raça, renda, escolaridade, gênero e equipamentos públicos. Após o mapeamento, poderão comparar estes dados entre regiões da cidade, escolhendo recortes como “comparar a rede de saúde nas periferias e na região nobre da cidade, analisar onde estão as ciclovias, a relação entre renda e escolaridade”.

O curso é gratuito e aberto ao público em geral, mas é “voltado principalmente para alunos da USP que não podem pagar um curso e para não alunos da USP que não teriam possibilidade de fazer esse curso de outra maneira”. Ele será realizado entre 5 e 9/9, das 14h às 18h e das 19h às 22h30, na Sala de Informática do Departamento de Geografia. Para saber mais, acesse a página do Curso de Introdução ao QGIS.