Criar na cidade

Fórum de Acessibilidade do IMS fala sobre arte, acessibilidade e educação

 Nos dias 22, 23, 29 e 30 de setembro, das 18h às 19h30, o IMS (Instituto Moreira Salles) promove a segunda edição do Fórum de Acessibilidade. O ciclo de conversas, gratuito e aberto ao público, acontece virtualmente na plataforma Zoom. Todas as atividades contarão com intérprete em Libras.

O fórum reunirá convidados de diferentes áreas e territórios em conversas sobre as convergências entre arte, educação e saúde. Os participantes tratarão dos desafios e estratégias para ampliar o acesso à programação dos equipamentos culturais. Também será abordado como o atual cenário, com a pandemia de covid-19, traz novos contornos ao debate sobre acessibilidade.

Programação 

A programação começa no dia 22 de setembro, às 18h, com a mesa Museu, acesso e relação. O bate-papo contará com a presença da educadora paulistana Daina Leyton, consultora de acessibilidade cultural, e do museólogo carioca Mario Chagas, do Museu da República. Os dois falarão sobre os impactos da epidemia nas instituições culturais e os desafios em adequar as programações para o meio digital. Diante desse novo contexto, como garantir o acesso, acolhimento e bem-estar do público?

A conversa seguinte será no dia 23 de setembro, às 18h. O fotógrafo piauiense João Maia e o bailarino e ator gaúcho Rogério Andreolli refletirão, a partir de suas próprias experiências, sobre os impactos causados pela pandemia e a importância da acessibilidade virtual.  Maia possui baixa visão desde os 28 anos, quando foi diagnosticado com uveíte bilateral e passou a enxergar vultos e perceber cores. Andreolli, que teve poliomielite aos 9 meses de idade, é ativista no movimento artístico das pessoas com deficiência.

O evento continua no dia 29 de setembro, às 18h, com um bate-papo entre a psicanalista Patrícia Villas-Bôas, do Instituto Sedes Sapientiae, e a jornalista Ciça Cordeiro, coordenadora de comunicação na Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo. As duas falarão sobre o papel da cultura na promoção da saúde mental, em diálogo com as políticas públicas.

A última mesa do fórum, que acontece no dia 30 de setembro, às 18h, será sobre a acessibilidade como prática educativa em equipamentos culturais. A conversa terá a participação de Fábio de Sá, poeta surdo e professor de Libras na PUC-SP e no CES Rio Branco, e de Viviane Sarraf, fundadora da empresa social Museus Acessíveis e pesquisadora colaboradora do Instituto de Estudos Brasileiros da USP.

 

Mais informações: facebook.com/InstitutoMoreiraSalles