Arquivo

Organizações lançam site de monitoramento das contas da Copa e das Olimpíadas

O Instituto Ethos, em parceria com mais de 70 entidades, lançou hoje (20/7) o site Jogos Limpos Dentro e Fora dos Estádios. A iniciativa integra uma série de ações que vêm sendo desenvolvidas pelo Projeto Jogos Limpos desde o ano passado, na tentativa de criar uma agenda pela integridade, transparência e controle social na realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no Brasil.

“A ideia é que o site seja uma das ferramentas de controle social dos recursos públicos que serão utilizados nas obras previstas para estes eventos”, explicou o presidente do Instituto Ethos, Jorge Luiz Abrahão, durante o lançamento. A página também tem como objetivo divulgar informações sobre os impactos econômicos, sociais e ambientais gerados pelos megaeventos.

Para isso, o site vai disponibilizar indicadores para as quatro áreas que receberão investimentos: aeroportos e portos; arenas; mobilidade urbana; e segurança. De acordo com a procuradora do Ministério Público Federal (MPF), Lisiane Braecher, “isso possibilitará a participação do cidadão no acompanhamento detalhado do uso desses recursos”. O Ministério é um dos parceiros do Projeto Jogos Limpos e tem atuado por meio do Comitê Juridíco.

O site disponibiliza uma agenda com os principais eventos esportivos que o Brasil sediará, além das reuniões dos Comitês Locais do Projeto.

O usuário tem acesso aos indicadores econômicos, sociais e ambientais, além do custo inicial e final de cada obra.

Esporte e desenvolvimento social

Atualmente, a estimativa de investimento para a Copa do Mundo de 2014 gira em torno dos R$23 bilhões, mas é provável que essa cifra aumente até a conclusão das obras. Foi o que ocorreu com os Jogos Pan-Americanos de 2007, realizados no Rio de Janeiro. Inicialmente orçados em R$ 500 milhões, hoje se fala em um gasto em torno de R$ 4 bilhões.

Para Abrahão, o legado dos Jogos Pan-Americanos é “questionável”, pois foram feitos apenas investimentos pontuais que não puderam ser aproveitados posteriormente pela população. Diferentemente do Pan, que envolveu apenas um município, a Copa de 2014 terá 12 cidades-sedes que já começaram a sofrer processos de adequação urbana, informacional, hoteleira e energética para receber os milhares de visitantes esperados.

Indicadores: as informações são divulgadas de maneira fácil e rápida.

O representante da ONG Atletas pela Cidadania — também parceira da iniciativa —, Victor Barau, demonstrou preocupação em relação ao uso dessa infraestrutura após os eventos.  “O Atletas pela Cidadania vê esse momento como uma oportunidade para o esporte, mas sempre sob a perspectiva da transformação social. Preocupa-nos a ausência de um olhar que considere o esporte como elemento fundamental para o desenvolvimento social do Brasil”.

Nesse sentido, Abrahão acredita que o site tem potencial “para criar uma cultura de acompanhamento do poder público e de participação popular”, ainda tímida no país. Segundo ele, as ferramentas poderão ser utilizadas a longo prazo, para monitorar investimentos locais. “O futebol mobiliza milhões de pessoas hoje em dia. Acreditamos que as mensagens que ele passa podem ser positivas. Mas para que isso ocorra, é preciso recuperar a dimensão da educação no futebol”, finalizou.