Arquivo

UnB fará treinamento sobre alimentação escolar para 200 municípios

A partir de abril, representantes de escolas de 200 municípios brasileiros (veja lista) participarão do projeto Educando com a Horta Escolar e com a Gastronomia, fruto de parceria entre o Centro de Excelência em Turismo (CET) da UnB e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Cinco representantes de cada município terão 80 horas de aulas presenciais em polos localizados em cidades estratégicas com enfoque em educação, nutrição, horta e gastronomia, além de debates e discussões no ambiente virtual. Como contrapartida, os participantes deverão oferecer cursos no município de origem para diretores de escolas, coordenadores pedagógicos, merendeiras e professores.

Veja Mais:
Projeto proíbe terceirização do processo de gestão da merenda escolar
Projeto estabelece diretrizes para alimentação saudável na escola
Merenda escolar pouco nutritiva poderá levar a processo criminal

“O objetivo é garantir o direito humano à alimentação adequada”, declara a coordenadora-geral do projeto e professora do CET, Ana Rosa dos Santos. “Para chegar a esse objetivo, vamos promover a formação desses multiplicadores, para que ela chegue até as escolas e seja incorporada como uma ação permanente”. A professora explica que a alimentação escolar não deve se ater à oferta de alimentos. “Hoje se pensa que a alimentação escolar é um processo educativo. A escola precisa inserir essa preocupação com a educação alimentar e nutricional no currículo”, diz.

Esta é a 4ª edição do projeto e a primeira vez que a UnB promove a formação dos multiplicadores. O Núcleo de Referência em Gastronomia e Alimentação Regional do CET, que já fez uma parceria com o FNDE em pesquisa sobre inserção de produtos, receitas e ingredientes regionais na alimentação escolar, propôs ao Fundo a inclusão da gastronomia no projeto. Esse eixo vai esclarecer os multiplicadores sobre a importância do aspecto sensorial da comida, do alimento fresco e do reaproveitamento.

Já o eixo sobre meio ambiente e horta pretende informar a escola e a comunidade da importância de plantar alguns alimentos. A ideia não é, necessariamente, retirar da horta os vegetais que farão parte da comida da escola, mas educar sobre o meio ambiente. “Queremos que os estudantes aprendam sobre educação alimentar e nutricional usando a horta e a gastronomia como instrumento pedagógico”, explica Ana Rosa.

A partir da pesquisa sobre produtos regionais, a equipe do Núcleo chegou à conclusão de que os estudantes não gostam da comida da escola. “Os que não comem, não comem porque não gostam e muitos comem porque é o que tem e não porque seja saboroso e agradável”, explica a coordenadora de nutrição do projeto, Denise Camargo da Silva. “A gastronomia entra no projeto com o intuito de dar um novo sentido para a alimentação escolar”, afirma a consultora Ana Tereza Bandeira. “A ideia é mostrar a importância de acrescentar sabor, textura, visual. Basicamente, trabalhar os sentidos”.

COZINHA – O diretor do CET, Neio Campos, contou que o centro está prestes a concretizar o sonho de abrigar uma cozinha experimental. A licitação para a construção deve sair ainda este semestre e o espaço destinado para a obra será o subsolo do prédio do CET. “Resolvemos não ficar esperando ter a infraestrutura para promover a formação”, afirma. “Com a continuidade do projeto, esperamos trazer esse multiplicadores para a cozinha experimental”.

Como o Núcleo de Referência em Gastronomia e Alimentação Regional tem foco em pesquisa e capacitação na alimentação como dimensão cultural, o projeto Educando com a Horta Escolar e com a Gastronomia se insere no CET com essa abordagem. “Buscamos destacar as diversidades regionais e as identidades territoriais formadas através dessa diversidade”, afirma o professor.

(UnB)